E-shoppers portugueses preferem comprar em sites internacionais

Consumidores digitais portugueses preferem sites estrangeiros, especialmente chineses, ingleses e espanhóis, o que impulsiona o número de compras cross-boarder nacionais.

Apesar de Portugal ainda se encontrar abaixo da média europeia de compras online (11,5%), com 9,4%, o comércio online português tem vindo a crescer a olhos vistos. Neste estudo, os compradores admitem que preferem sites estrangeiros, especialmente chineses, ingleses e espanhóis, o que impulsiona o número de compras cross-boarder nacionais – Portugal encontra-se bem acima da média europeia, que é de 19,1%, com cerca de 27,6% de compras provenientes de marketplaces internacionais. Segundo os dados recolhidos, 54% dos portugueses admitem que recorrem a websites estrangeiros pelo fato dos produtos que procuram não estarem disponíveis no mercado nacional. Outros 40% confessam que há ‘melhores negócios’ lá fora.

Este é o resultado de um estudo do grupo de entregas Dpd sobre o comportamento dos consumidores digitais durante o ano de 2018. Portugal foi um dos países relatados, com uma amostra de 1034 participantes, e os resultados são o reflexo da nova Era de comércio.

Alimentos online ganham procura

A moda, a tecnologia e a beleza continuam a ser as categorias preferidas dos e-shoppers portugueses, mas a procura por alimentos online tem ganho destaque no último ano, especialmente com a crescente popularidade dos serviços de home-delivery e das entregas de supermercado. Em média, um português gasta 45 euros numa compra online na indústria da moda, enquanto que, na área tecnologia, desembolsa 178 euros.

Apesar do computador ainda liderar a lista de equipamentos favoritos, o smartphone registou o maior crescimento – cerca de 846 dos 1034 inquiridos no estudo usam-no.

O método de pagamento mais usado continua a ser a Digital Wallet, através de sistemas como o Paypal ou a Alipay, conquistando 60% dos e-shoppers. Logo a seguir, surge o Multibanco como método alternativo preferencial (45%).

Para 74% dos portugueses, é importante conhecer a empresa de entregas antes de fazer a compra. A sensação de conforto e descanso que é transmitida por uma empresa de confiança nacional lidera as razões dessa percentagem.

Em resumo, 44% dos portugueses compra online há mais de quatro anos, 72% prefere que as compras lhe sejam entregues em casa e 22% recorre diretamente às apps das marcas.

 

Ler mais
Recomendadas

Poderá o próximo James Bond ser uma mulher negra?

Depois de Daniel Craig anunciar a reforma, a imprensa britânica virou as atenções para Lashana Lynch. A confirmarem-se os rumores, esta poderá ser uma das maiores revoluções na história da saga agente secreto mais famoso do mundo.

Tivoli Palácio de Seteais eleito o melhor hotel português da Península Ibérica

Para esta avaliação, os leitores da revista votaram nas valências dos hotéis, localização, serviço e oferta gastronómica, baseando-se também nas comodidades existentes.

“Visionário tóxico” e “génio do mal”. Retrato polémico sobre Steve Jobs chega às bancas

Marta Peirano é a autora do “O Inimigo Conhece o Sistema”; “este é um livro para entender porque é que as empresas tecnológicas que geram dependência são as mesmas que espiam e manipulam os utilizadores”.
Comentários