“É uma loucura”. Este banco perdoou dívidas de cartões de crédito a clientes

O Chase Bank ‘esqueceu’ as dívidas de clientes canadianos, apanhando-os totalmente de surpresa. A situação deveu-se ao facto de o Amazon.ca Rewards Visa e o Marriott Rewards Premier Visa terem saído desse mercado.

Mais um insólito aconteceu na América. O banco norte-americano Chase perdoou recentemente todas as dívidas que tinham os clientes de dois cartões de crédito que vão sair do mercado canadiano – Amazon.ca Rewards Visa e Marriott Rewards Premier Visa. Os canadianos que viram os valores por liquidar a zero foram totalmente apanhados de surpresa.

É o caso de Douglas Turner, um camionista de Ontario, que a par da surpresa, ficou maravilhado quando se apercebeu de que o banco havia ‘esquecido’ a sua dívida de 6.157 dólares canadianos (cerca de 4.165,09 euros). “Fiquei meio que exacerbado, com um sorriso no rosto”, disse à Canadian Broadcasting Corporation. “É uma loucura. Isto não acontece com cartões de crédito. Cartões de crédito são histórias de terror”, confessou o canadiano de 55 anos.

A mesma situação ocorreu com Paul Adamson, que tinha cerca de 1.645 dólares norte-americanos (aproximadamente 1.471,49 euros) em dívida ao Chase. “Estava um pouco confuso e meio cético em relação à resposta [do banco assim que telefonou a contar o sucedido]”, afirmou, em declarações à imprensa local. À rádio e estação pública canadiana, Paul admitiu que ficou “chocado” e adiantou que recebeu uma carta a confirmar o sucedido.

A subsidiária de banco comercial e de consumo da holding JP Morgan Chase tinha anunciado em março do ano passado que iria pôr fim a esses dois cartões Visa, deixando o mercado de canadiano ao fim de 13 anos. No entanto, o banco com sede na zona de Manhattan, em Nova Iorque, não divulgou o número de canadianos a quem perdoou dívidas.

Recomendadas

Banca, automóveis, petróleo e materiais são as melhores oportunidades de investimento, diz diretor do Bankinter

José Miguel Calheiros, diretor da gestão de ativos do Bankinter, antecipa que as taxas de juro na zona euro vão permanecer negativas “mais um par de anos”. O mercado bolsista norte-americano afigura-se como a melhor estratégia de investimento com retornos.

WiZink lança Unido, a primeira app em Portugal aberta a todos utilizadores

A app gratuita funciona de forma independente, está aberta e disponível para todos os utilizadores, independentemente das entidades financeiras em que sejam clientes.

CGD emite 500 milhões de euros em dívida a cinco anos a 1,25%

A Caixa Geral de Depósitos realizou hoje uma emissão de dívida sénior não preferencial (senior non preferred), no montante de 500 milhões de euros, com o prazo de 5 anos e uma taxa de juro de 1,25%.
Comentários