Earnings Season: os maiores riscos para o mercado acionista

Com o segundo trimestre do ano chegado ao fim, é agora o momento de as empresas publicarem os relatórios financeiros trimestrais.

Como de costume, a earnings season em Wall Street começará com a publicação de relatórios de lucros dos principais bancos dos EUA. Espera-se que o crescimento das receitas e vendas seja enorme, mas deve-se ter em consideração que o segundo trimestre de 2020, atingido pela pandemia, forneceu uma base de comparação muito baixa. Vamos ver o que o mercado espera e no que focar durante a primeira semana da earnings season.

Visão geral

Esta earnings season será fora do comum. Porquê? Os resultados do segundo trimestre de 2021 serão comparados com os do segundo trimestre de 2020, que foi o trimestre mais atingido pela pandemia. Como resultado, espera-se que as empresas norte-americanas apresentem taxas gigantescas de crescimento ano a ano. As estimativas de lucro apontam para um crescimento massivo de 63,6% a/a, enquanto que a receita deve aumentar 19,6% acima dos níveis do segundo trimestre de 2020. As métricas de crescimento a/a foram frequentemente ignoradas pelos investidores, que se concentraram nas expectativas do mercado como referência, e o efeito de base extremamente baixo de há um ano não deve mudar durante a earnings season deste trimestre. Os bancos dominarão a primeira semana, enquanto que a segunda semana (19 a 23 de julho) será dominada por relatórios de empresas de tecnologia dos EUA, como Netflix (terça-feira, 20 de julho), Tesla (quinta-feira, 22 de julho) ou Microsoft (quinta-feira, 22 de julho).

Espera-se que todos os 11 sub-índices setoriais do índice S&P 500 apresentem ganhos maiores numa comparação anual. O setor da energia, especialmente as empresas petrolíferas, devem apresentar os maiores aumentos a/a. Isso não deve ser surpreendente, dado que os preços do petróleo caíram abaixo de zero durante o segundo trimestre de 2020! Outros grupos de ações que devem apresentar grande melhoria são as ações que foram fortemente atingidas pela pandemia – companhias aéreas, restaurantes e hotéis.

Os bancos iniciam a earnings season

Como geralmente é o caso, os bancos norte-americanos serão os primeiros a divulgar os resultados. Há duas coisas a serem observadas: em primeiro lugar, qual foi o desempenho da área do trading; a atividade de trading foi um dos principais impulsionadores dos ganhos sólidos registados nos últimos trimestres e os investidores querem ver se a bonança continuou. Isso é particularmente importante, uma vez que as taxas de juros permanecem baixas e o trading torna-se cada vez mais importante nos negócios dos bancos. Em segundo lugar, os investidores deverão concentrar-se na divulgação dos dividendos. A Fed levantou recentemente as restrições aos dividendos bancários e recompras de ações próprias, aumentando desta forma o sentimento dos investidores em relação ao setor.

Fonte: Bloomberg, Análise XTB

Principais fatores de risco para o mercado

Apesar do crescimento dos ganhos trimestrais ser essencial para a continuação da subida dos preços das ações, existem outros riscos muito importantes que poderão estar a ser subestimados.

  • Yields

Talvez o maior perigo para o desempenho do mercado acionista seja o aumento das yields. Não é de admirar que estejamos a assistir aos índices acionistas em máximos históricos (com o índice Nasdaq a ser o principal beneficiado), devido ao colapso das yields americanas a 10 anos. Enquanto as yields a 10 anos caíram dos 170 pontos base para os 135 pontos base, as ações dispararam. Isto porque yields mais baixas tornam cada dólar de lucro das empresas cada vez mais valioso, à medida que o rendimento das obrigações diminui, ou seja, os investidores estão dispostos a pagar mais por cada dólar de lucro. É por isso que os investidores deveriam primeiro estar atentos à evolução das yields e, só depois, à divulgação dos lucros das empresas à medida que a earnings season avança.

  • Crescimento Marginal do Lucro

Não há dúvida de que os resultados devem melhorar substancialmente, numa comparação anual, à medida que as economias desconfinam. Mas muitas das boas notícias provavelmente já estão descontadas no preço das ações. A questão mais importante para os investidores no futuro é saber se poderá continuar a haver crescimento orgânico. Isto é particularmente importante para as empresas de tecnologia de grande capitalização que dominam a composição do índice.

  • Riscos geopolíticos

Com o aumento das tensões entre os EUA e a China e entre os EUA e a Rússia, os riscos de um conflito geopolítico estão bem patentes apesar de pouco prováveis, e qualquer deterioração adicional nas relações diplomáticas poderia lançar sobre o mercado um risco desagradável. Quando o mercado negoceia a múltiplos tão elevados, qualquer evento, por mais insignificante que seja, pode levar a uma correção significativa nos mercados acionistas.

É por isso que, apesar das ações estarem em níveis recorde, os investidores podem querer assumir uma postura mais defensiva no segundo semestre deste ano, diversificando a carteira por exemplo através do uso de ETFs.

A X-Trade Brokers Dom Maklerski S.A. não se responsabiliza por decisões de investimento que se baseiam em informações contidas nestes conteúdos. Nenhuma da informação aqui contida deverá ser entendida como recomendação de investimento, garantia de lucro ou de risco significativamente menor. Os investimentos baseados no uso de produtos derivados com alavancagem financeira são, por natureza, especulativos e poderão resultar tanto em lucros como perdas significativas. Esteja ciente de que dados de desempenho anteriores não são um indicador fiável de desempenho futuro.

 

Este conteúdo patrocinado foi produzido em colaboração com a XTB.

Recomendadas

Imobiliário e Reabilitação Urbana: o que vem aí?

Depois do crescimento dos últimos anos o sector imobiliário atravessa um momento de dúvida devido à pandemia. Saiba mais sobre o tema na talk do próximo dia 5 de agosto, às 17h00.

Inovar e patentear em Portugal: Como e quando?

Como pode Portugal fomentar a inovação e respetiva proteção da mesma, num contexto de recuperação desafiante? Saiba tudo na JE editors Talks do próximo dia 6 de agosto, às 15h00.

Chegou a hora da reestruturação?

A pandemia veio dificultar a vida de muitas empresas o que levou muitas destas a apostar na sua reestruturação para enfrentar as dificuldades. Será este o tema da JE editors Talks de dia 29 de Julho às 15h00.
Comentários