Economia do mar emprega quase 181 mil pessoas em Portugal

O turismo costeiro – que contribuiu com 74% para o total de empregos nas atividades ligadas ao mar e por 66% dos lucros em 2017 –, e os recursos vivos são os principais motores das atividades económicas nacionais ligadas aos mares e oceanos, segundo um estudo da Comissão Europeia divulgado esta quinta-feira.

A economia do mar emprega cerca de 180.900 pessoas em Portugal e gera quase 4,1 mil milhões de euros de Valor Acrescentado Bruto (VAB), de acordo com o relatório “Blue Economy 2019”, elaborado pela Comissão Europeia e apresentado esta quinta-feira por ocasião do Dia Marítimo Europeu, que decorre em Lisboa. O turismo costeiro, que, em 2017, contribuiu com 74% para o total de empregos e para 66% dos lucros na ecomonia azul, bem como os recursos vivos são os principais motores das atividades económicas nacionais associadas aos mares e oceanos.

Apesar de o VAB da economia azul portuguesa ter diminuído entre os anos de 2009 e 2012, acabou por, entretanto, aumentar de forma acentuada e atingir o seu nível mais elevado em 2017. Só a quota deste valor no Produto Interno Bruto (PIB) nacional cresceu 30% durante esse mesmo período.

Fonte: Comissão Europeia / Eurostat

Em 2016, os números eram significativamente inferiores. Segundo um estudo das consultoras EY e Augusto Mateus & Associados, promovido pelo BCP, as fileiras-chave da economia azul (pesca, aquicultura e indústria do pescado; transportes marítimos, portos e logística; construção, manutenção e reparação naval; turismo e lazer ligado ao mar) davam trabalho a 99,4 mil pessoas no país e geravam um volume de negócios de 7,5 mil milhões de euros. “O salário médio dos empregos do setor da economia azul em 2016 foi de 12.700 euros, um decréscimo de 3% face aos valores de 2009”, aponta, por sua vez, a análise de Bruxelas, divulgada esta manhã.

O Dia Marítimo Europeu, estabelecido em 2008, representa um ponto de encontro anual para profissionais, empresários e líderes políticos ligados aos mares e oceanos. A capital portuguesa receberá, ao longo dos próximos dois dias, mais de 1.400 participantes de 53 países, mais de uma centena de oradores, 28 workshops e 21 pitchs. Bruxelas escolheu Portugal para receber a edição de 2019 deste evento, este ano focado essencialmente em impulsionar a economia marítima sustentável através do empreendedorismo, do investimento, da investigação e da inovação.

Mais de 200 milhões de europeus vivem nas zonas costeiras

Bruxelas anuncia novo mecanismo de apoio a startups e PME do mar

Ler mais
Recomendadas

Governo também vai baixar duração máxima dos contratos a prazo no Estado para dois anos

“O Governo assume desde já o compromisso, como empregador, de emitir uma orientação a todos os serviços para respeitarem os tempos que estão previstos no Código do Trabalho”, disse o ministro do Trabalho.

Número de turistas no Algarve cresceu 9,3% no primeiro semestre de 2019

A Algarve recebeu, entre janeiro e junho, mais 9,3% de hóspedes do que no mesmo período de 2018, o que representa mais 3,3% de dormidas e um aumento de 7,9% nos proveitos totais, segundo o Instituto Nacional de Estatística.

Primeiro-ministro de Itália demite-se

Giuseppe Conte arrasou o ‘seu’ ministro do Interior, Matteo Conte, a quem acusou de ter um projeto pessoal que não passa necessariamente por aquilo que são as prioridades do país.
Comentários