‘El País’: Evento no Panteão “ao estilo Harry Potter” veio mostrar que “com os mortos não se janta”

O jornal espanhol ‘El País’ escreve que o caso veio mostrar que “com os mortos não se janta”, mas lembra que, apesar da indignação do Executivo socialista, já se tinham realizado outros jantares idênticos ainda durante o mandato de António Costa na Câmara.

A polémica gerada em torno do jantar dos convidados da Web Summit no Panteão Nacional já está a fazer eco os jornais internacionais. O espanhol ‘El País’ escreve que o caso veio mostrar que “com os mortos não se janta”, mas lembra que, apesar da indignação do Executivo socialista, já se tinham realizado outros jantares idênticos ainda durante o mandato de António Costa na Câmara.

O ‘El País’ sublinha que os convidados para a cerimónia, à luz de velas, no edifício onde estão guardados os restos mortais das figuras mais relevantes da história nacional “não são amantes da necromancia nem fazem parte do movimento de ocupação que simplesmente abriu a porta”. O jornal chama a atenção para o facto de os convidados da Web Summit terem “pago um bom dinheiro aos cofres do Estado para poderem reservar o espaço”.

Apesar de o Panteão Nacional fazer parte da lista de monumentos nacionais que podem ser alugados para cerimónias privadas, o jantar ao estilo de Harry Potter ou de uma cimeira maçónica causou estranheza e indignação entre os membros do Governo. O jornalista do ‘El País, Javier Martín del Barrio, dá conta de que o primeiro ministro terá ficado “escandalizado”, esquecendo-se que “já haviam sido organizados jantares [naquele espaço] quando ainda era presidente da Câmara de Lisboa”.

António Costa já veio a público dizer que o uso do espaço para a celebração de festas e jantares é “absolutamente indigno e ofensivo” e assegurou que vai proceder à “alteração do referido despacho, para que situações semelhantes não voltem a repetir-se, violando a história, a memória coletiva e os símbolos nacionais”.

Javier Martín del Barrio termina o artigo dizendo que esta alteração à lei vai garantir que Paddy Cosgrave, fundador da Summit Web, “não jante mais ao lado dos heróis de Portugal”, como António Costa defendeu, mas ressalva que “Amália e Eusébio também não desfrutaram de público”.

Relacionadas

Palácio Nacional da Ajuda rendeu 14 mil euros com festa na noite do jantar do Panteão

De acordo com os dados apresentados pelo responsável do Palácio Nacional da Ajuda, em 2015 e 2016, foi organizada mais de uma centena de jantares no edifício.

Bispo emérito de Beja compara festas no Panteão a “bacanais romanos nos cemitérios”

D. António Vitalino Dantas considera que a organização de jantares no edifício não é a melhor forma de homenagearmos às grandes figuras da História portuguesa.

“Foi convidado?”. PSD tem esta e mais sete questões para António Costa sobre o jantar no Panteão

Esta é apenas uma das oito questões que os sociais-democratas querem ver respondidas por António Costa sobre o jantar da polémica no Panteão Nacional, de acordo com notícia do Expresso online.

Panteão Nacional já recebeu pelo menos dez eventos como o da Web Summit

O primeiro terá acontecido em 2002 e desde então outros eventos têm vindo a ocupar o edifício que acolhe os túmulos das grandes figuras da história portuguesa.

“Absurdo”, “ofensivo” e “disparate”: o que se disse do jantar no Panteão

O encerramento da Web Summit gerou polémica por ter tido lugar no Panteão Nacional. Apesar de a realização de eventos no local ser permitida por lei, recebeu críticas da esquerda à direita e também do próprio Presidente da República.

Quanto custou à Web Summit o jantar no Panteão Nacional?

O encerramento com os fundadores da cimeira tecnológica está a criar polémica pela escolha do local. Apesar de a utilização do Panteão ser autorizada e ter uma tabela de preços, o Governo já garantiu que não volta a acontecer.
Recomendadas

Salzburgo: mais uma cimeira sem qualquer sucesso

Questão da imigração é cada vez mais fraturante nas cimeiras que juntam os chefes de Estado e governo da União Europeia. Mais uma vez, não foi possível qualquer acordo.

União Europeia quer organizar cimeira com a Liga Árabe

Questão da imigração estará no centro do eventual encontro entre as duas organizações. Passos nesse sentido irão ser dados no encontro informal de Salzburgo – que, ontem, não conseguiu qualquer desenvolvimento no debate sobre a matéria.

Espanha: PP exige ao governo socialista marcação de eleições

O país está envolvido numa guerra de currículos que está a minar os entendimentos políticos entre os partidos. A crise provocada pela moção de censura do PSOE parece a postos para continuar.
Comentários