Eleven Sports Portugal alerta NOS, Vodafone e MEO: “Não podem privar os clientes dos melhores conteúdos”

“Acreditamos que podemos ter muito sucesso aqui [Portugal] como já tivemos em outros mercados”, destacou Pedro Mendonça Pinto, diretor não executivo da Eleven Sports Portugal no programa “Jogo Económico” desta semana.

A Eleven Sports chegou a Portugal no dia 15 de agosto de 2018 e veio para ‘chocalhar’ o mercado das transmissões televisivas. A expressão foi utilizada pelo vice-presidente não executivo da operadora de canais televisivos de desporto, Pedro Mendonça Pinto, que esta quinta-feira foi o convidado do programa “Jogo Económico.

“A Eleven Sports identificou aqui uma oportunidade de adquirir os direitos da Liga dos Campeões para um ciclo entre 2018 e 2021. Apareceram outras oportunidades e foi a forma ideal de entrar no mercado, que tem uma grande paixão pelo futebol e pelo desporto e acreditamos que podemos ter muito sucesso aqui [Portugal] como já tivemos em outros mercados”, referiu Pedro Mendonça Pinto.

Sobre a forma como a empresa pretende lidar com o consumidor, o diretor não executivo mostra-se prudente. “Vamos ver com o arranque da Liga dos Campeões na próxima semana, como é que os adeptos vão reagir à nossa forma de apresentação e interação. É tratar o desporto como divertimento, uma celebração de eventos com o adepto”, afirma, destacando que a operadora está a dar os primeiros passos.

“Temos menos de um mês de vida, lançámos-nos no dia 15 de agosto, mas vamos tentar marcar a diferença”, salienta Pedro Mendonça Pinto, que explica também aquilo que os consumidores da Eleven Sports podem esperar em termos de conteúdo. “Por menos de dez euros por mês e menos de cem euros por ano, os nossos clientes vão ter acesso à maior competição do mundo de clubes de futebol, que é a liga dos campeões, a liga espanhola, francesa, alemã, escocesa, belga e outros conteúdos, vamos ter a formula 1 a partir da próxima época”, destaca.

Até ao momento, a operadora Nowo é a única a deter os direitos de transmissão da Eleven Sports. Um cenário que o vice-presidente não executivo acredita que vai mudar. “Acreditamos que tanto a NOS, como a Vodafone e MEO vejam que não podem privar os seus clientes dos melhores conteúdos que existem no mercado. O cliente é que manda. É uma questão de quando esses acordos irão acontecer, e não se irão acontecer”, refere.

O agora vice-presidente não executivo da operadora britânica frisa que a empresa está para durar em Portugal: “a Eleven Sports está aqui para ficar. Nós não vamos partilhar os nossos conteúdos premium com ninguém. Queremos criar raízes e que o nosso canal cresça com os adeptos e a pensar nos adeptos”.

Relacionadas

Já viu o “O Jogo Económico”? Eleven Sports: o que vai mudar na forma como vemos desporto em direto?

Esta semana, falámos de transmissões desportivas e da nova abordagem que a Eleven Sports traz aos adeptos em Portugal. Nesta edição, contámos com a participação especial de Pedro Mendonça Pinto, diretor não-executivo da Eleven Sports.
Recomendadas

De João Cancelo a João Félix: Formação do Seixal já rendeu 315 milhões ao Benfica

Nos últimos quatro anos as transferências de jogadores como Bernardo Silva, Renato Sanches ou Gonçalo Guedes encheram aos cofres à SAD do clube da Luz. Veja quem e quais os valores que cada um destes dez jogadores deu a ganhar ao Benfica, numa lista divulgada pelo jornal “Record”.

Jogos Africanos de Praia fazem de Cabo Verde destino desportivo

“Esta aposta vale a pena porque está dentro da estratégia de tornar Cabo Verde num país relevante no mundo de organizações de eventos desportivos”, disse o ministro do Desporto cabo-verdiano.

Benfica: Academia do Seixal rende mais de 300 milhões de euros

Os dez principais negócios envolvem jogadores que jogaram no SL Benfica entre os 12 e 21 anos, durante pelo menos três temporadas. Caixa Futebol Campus foi inaugurada há 12 anos, mas só nos últimos quatro começou a dar rentabilização.
Comentários