Elon Musk processado por investidores pelos ‘tweets’ sobre saída de bolsa

Dois processos defendem que o CEO da Tesla pretendia "dizimar completamente" os 'shortsellers' e que inflacionou artificialmente o preço das ações da Tesla, violando as leis federais de valores mobiliários.

O CEO da Tesla, Elon Musk, foi processado por dois investidores na passada sexta-feira por ter levantado, no Twitter, a hipótese de retirar a empresa de bolsa. As ações judiciais acusam Musk de fraude, alegando que as mensagens foram um esquema projetado para pressionar short-sellers, segundo noticia a Reuters.

Os processos judiciais deram entrada no Tribunal da California três dias depois que Musk surpreender os investidores ao anunciar no Twitter que poderia tomar a Tesla privada numa transação recorde que avaliava a produtora de carros elétricos em 72 mil milhões de dólares. “Estou a ponderar tirar a Tesla de bolsa nos 420 dólares. Financiamento assegurado”, escreveu o empresário, na rede social, na terça-feira.

Num dos processos, o autor Kalman Isaacs disse que os tweets de Musk eram falsos e enganosos, destinando-se a “dizimar completamente” os investidores com posições a descoberto (shortsellers), segundo a agência.

A par de Isaacs, também William Chamberlain, autor do segundo processo, defendeu que a conduta de Musk inflacionou artificialmente o preço das ações da Tesla e violou as leis federais de valores mobiliários.

A estratégia dos shortsellers prende-se com usar ações emprestadas, que acreditam estar inflacionadas, para vender e, posteriormente, ter lucro com a recompra das ações a um preço mais baixo. Elon Musk já usou várias vezes o Twitter para criticar a atitude.

O tweet do empresário a 7 de agosto levou a um disparo das ações de 13%. Desde então, os títulos já corrigiram em cerca de dois terços desse ganho, em parte depois de a comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos ter suspendido a negociação para investigar a atividade de Musk. Após o fecho de Wall Street, esta sexta-feira, a capitalização de mercado da Tesla situava-se nos 60 mil milhões de dólares ou 355,49 dólares por ação.