EMEL investiu 870 mil euros na compra de 730 novas bicicletas elétricas para a rede partilhada Gira

A entrega das primeiras bicicletas elétricas, cerca de 400 bicicletas, está prevista até ao final de dezembro, devendo as restantes chegar ao longo do primeiro trimestre de 2021.

A EMEL – Empresa de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa investiu cerca de 870 mil euros na aquisição de mais 730 bicicletas elétricas para reforçar a rede partilhada Gira, na cidade de Lisboa.

“No seguimento do concurso público internacional, a EMEL adjudicou a compra de 730 novas bicicletas elétricas para reforçar sistema da rede de bicicletas partilhadas de Lisboa, Gira, ao consórcio MEO/Soltráfego, pelo valor de 1.191 euros a unidade, perfazendo um total de 869.430,00 euros”, revela um comunicado da empresa municipal da Câmara de Lisboa.

Segundo esse comunicado, “a entrega das primeiras bicicletas elétricas, cerca de 400 bicicletas, está prevista até ao final de dezembro, devendo as restantes chegar ao longo do primeiro trimestre de 2021”.

Os responsáveis da EMEL recordam que a manutenção de todo o ‘Sistema de Bicicletas Partilhadas Públicas (Bicicletas e Estações)’ é, desde maio, assegurada por esta empresa.

“A EMEL acredita que a Gira é cada vez mais uma peça essencial para a transformação do panorama da mobilidade em Lisboa, permitindo a residentes e a quem se movimenta na capital fazer as suas deslocações em segurança e sem ‘stress’, ao mesmo tempo contribui para uma cidade e um país mais sustentáveis”, conclui o comunicado da EMEL.

 

Ler mais
Recomendadas

5G: Leilão cumpre 62 dias com propostas de 277,9 milhões de euros

As propostas do leilão 5G somaram hoje, no 62.º dia de licitação principal, 277,9 milhões de euros, mais uma vez num total de “seis rondas”, de acordo com a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom).

Cofina Media avança com despedimento coletivo de 26 trabalhadores

A Cofina Media, que detém o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios, entre outras publicações, vai avançar com um despedimento coletivo que envolve 26 postos de trabalho, segundo a carta enviada aos trabalhadores, consultada pela Lusa.

Mastercard apresenta nova calculadora da pegada de carbono dos clientes bancários

Os bancos podem integrar facilmente a Calculadora de Carbono nas suas aplicações móveis, através de novas APIs, agora disponíveis na Mastercard Developers. Esta ferramenta surge na sequência do novo estudo da Mastercard, realizado em 14 países europeus, incluindo Portugal, que mostra que a pandemia está a levar milhões de pessoas a considerar comportamentos mais sustentáveis. Sendo que 75% dos portugueses inquiridos reconheceu estar mais preocupado com a redução da pegada de carbono.
Comentários