EMEL investiu 870 mil euros na compra de 730 novas bicicletas elétricas para a rede partilhada Gira

A entrega das primeiras bicicletas elétricas, cerca de 400 bicicletas, está prevista até ao final de dezembro, devendo as restantes chegar ao longo do primeiro trimestre de 2021.

A EMEL – Empresa de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa investiu cerca de 870 mil euros na aquisição de mais 730 bicicletas elétricas para reforçar a rede partilhada Gira, na cidade de Lisboa.

“No seguimento do concurso público internacional, a EMEL adjudicou a compra de 730 novas bicicletas elétricas para reforçar sistema da rede de bicicletas partilhadas de Lisboa, Gira, ao consórcio MEO/Soltráfego, pelo valor de 1.191 euros a unidade, perfazendo um total de 869.430,00 euros”, revela um comunicado da empresa municipal da Câmara de Lisboa.

Segundo esse comunicado, “a entrega das primeiras bicicletas elétricas, cerca de 400 bicicletas, está prevista até ao final de dezembro, devendo as restantes chegar ao longo do primeiro trimestre de 2021”.

Os responsáveis da EMEL recordam que a manutenção de todo o ‘Sistema de Bicicletas Partilhadas Públicas (Bicicletas e Estações)’ é, desde maio, assegurada por esta empresa.

“A EMEL acredita que a Gira é cada vez mais uma peça essencial para a transformação do panorama da mobilidade em Lisboa, permitindo a residentes e a quem se movimenta na capital fazer as suas deslocações em segurança e sem ‘stress’, ao mesmo tempo contribui para uma cidade e um país mais sustentáveis”, conclui o comunicado da EMEL.

 

Ler mais
Recomendadas

Banco de Fomento lança duas novas linhas de apoio à economia no valor de 1.100 milhões de euros

Banco Português de Fomento abre esta segunda-feira as candidaturas para as novas linhas de crédito. A linha de apoio para as empresas exportadoras da indústria e do turismo tem uma dotação global de 1.050 milhões de euros, enquanto a linha de apoio às empresas de montagem de eventos tem uma dotação de 50 milhões de euros.

PremiumCompal vende 70 milhões de litros de sumos com Centro de Frutologia

Miguel Garcia, diretor de marketing da empresa, realça o papel do centro na promoção da fruta nacional e no acesso a 20 mil toneladas anuais.

Honda suspende produção no Reino Unido por falta de fornecimentos

De acordo com o Sunday Times, citado pela agência Efe, a Jaguar Land Rover, a Nissan e a Vauxhall também se estão a ver obrigadas a cortar na sua atividade devido à falta de pessoal por causa da covid-19, assim como pelo congestionamento nos portos britânicos associado à pandemia e ao ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia).
Comentários