Emigrantes lesados do BES podem perder mais com títulos

António Ramalho terá negociado em março com os representantes dos emigrantes a hipótese de transformar as obrigações seniores com, maturidades entre 2047 e 2049, em títulos com prazos mais curtos.

Há emigrantes lesados do Banco Espírito Santo (BES) que receiam ter mais perdas com os títulos, depois do acordo assinado há um ano com o Novo Banco por 80% destes injuriados, informa o Correio da Manhã desta sexta-feira.

O diário contactou fontes próximas à negociação e concluiu que há quem arrisque novas perdas com os títulos e que o CEO do Novo Banco, António Ramalho, negociou em março com os representantes dos emigrantes a hipótese de transformar as obrigações seniores com, maturidades entre 2047 e 2049, em títulos com prazos mais curtos.

A proposta que enquadra a solução para os lesados do papel comercial do BES baixou à COFMA sem votação em plenário e será discutida e trabalhada num período que pode ir até 60 dias, após o debate no Parlamento, na semana passada.

Em causa está a aprovação necessária em matéria legislativa para a criação de uma nova figura jurídica (fundos de recuperação de créditos que têm como objetivo a indemnização parcialmente aos dois mil clientes que perderam os investimentos com o colapso do BES em 2014).

Uma das hipóteses em cima da mesa é a recuperação de 75% do investimento dos lesados do papel comercial num máximo de 250 mil euros em aplicações até 500 mil euros, sendo que para as aplicações superiores a 500 mil, a recuperação do montante será de 50%.

Relacionadas

Formação, cores e declarações à mão: As propostas do PS para prevenir lesados

O Partido Socialista apresenta esta terça-feira um conjunto de propostas que têm como objetivo a prevenção de casos como o do BES. Para “proteger investidores e trabalhadores” existe um código de cores, formação dos bancários e declarações escritas à mão.

Lesados do BES/GES entregam petição a pedir a deputados solução alargada

A Associação de Defesa dos Clientes Bancários alerta para a necessidade de ser encontrada uma solução que inclua todos os lesados e emigrantes do BES/Grupo GES que foram enganados. Aos deputados reclamam “análise aprofundada” à venda de produtos GES através das sucursais exteriores.
Recomendadas

Novas transferências bancárias imediatas chegam a 95% das contas portuguesas

O novo subsistema de transferências foi desenvolvido com base nos requisitos pan-europeus estabelecidos para o processamento destas operações. Ficou, terça-feira, disponível apenas entre contas portuguesas, mas o plano é que se estendam a todos os países da SEPA.

BCE confirma Luís Ribeiro como administrador do Novo Banco

Este é o administrador com a área comercial de retalho que já estava em funções na Comissão Executiva liderada por António Ramalho, e cuja avaliação estava em curso no BCE. O Novo Banco vai ainda ter um novo CFO, o irlandês Mark Bourke, e Jorge Cardoso fica com a área de banca de investimento.

Elisa Ferreira defende procedimentos especiais para insolvências de bancos de média dimensão

Como a resolução de um banco médio, mas com relevância sistémica a nível local, tem um impacto social e económico considerável “precisamos de discutir alternativas para os bancos médios e pequenos que saem do mercado, em vez de avançar em direção a uma nova camisa de forças” global, defendeu a vice-governadora do Banco de Portugal em Basel, Suíça.
Comentários