Empresários portugueses otimistas com exportações mas temem o Brexit

Empresas perspetivam aumento nominal de 4,3% nas exportações de bens em 2019, revelou o Instituto Nacional de Estatística. A perspetiva das empresas revela uma desaceleração face à previsão de 2018.

Aly Song/Reuters

As exportações de bens em 2019 deverão crescer 4,3% em 2019, de acordo com as perspetivas das empresas exportadoras para este ano, divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira. Embora os empresários revelem otimismo com o crescimento, os dados do INE apontam para uma desaceleração face às perspetivas indicadas pelas empresas para 2018.

As empresas exportadoras de bens prevêem um crescimento em 2019 face ao ano anterior, sendo que, excluindo o segmento dos combustíveis e lubrificantes o aumento esperado é de 4,4% em 2019. Os valores divulgados pelo INE comparam com as mesmas perspetivas de 2018, quando os empresários previram um crescimento de 6,4% (7,1% excluindo combustíveis e lubrificantes).

A desaceleração, indica o gabinete de estatística português, está relacionada com o efeito da saída do Reino Unido da União Europeia. Há 17% das empresas portuguesas que “antecipam um impacto negativo nas suas exportações” com base no Brexit.

 

Recomendadas

Arábia Saudita e Emirados “preocupados” com eventual subida dos ‘stocks’ de petróleo

“Nenhum de nós quer ver os stocks novamente a aumentar, temos de ser cautelosos”, disse o ministro da Economia da Arábia Saudita, referindo-se à situação no final de 2018 que levou a uma quebra acentuada do preço do “ouro negro” no mercado internacional.

Marisa Matias diz que Bruxelas “está a preparar um assalto às pensões”

A eurodeputada acusa Bruxelas qde querer reduzir a Segurança Social “a um sistema de esmolas para pobres, empurrando quem pode para produtos privados e quem não pode para a miséria”.

ONU diz ao governo italiano que decreto viola direitos dos migrantes

Os investigadores afirmam que o decreto parece ser mais uma tentativa política para criminalizar as operações de busca e salvamento” que “intensifica ainda mais o clima de hostilidade e xenofobia contra os migrantes”.
Comentários