ERSE obriga EDP Comercial a eliminar expressões que induzem clientes em erro

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ESRE) aplicou uma medida cautelar à EDP Comercial, fornecedor de energia em mercado livre, que obriga à cessação imediata da utilização de expressões suscetíveis de induzir em erro em cartas enviadas aos consumidores.

Christian Charisius/Reuters

Em comunicado, o regulador da energia explica que em causa está a designação genérica de “EDP”, devendo ser sempre inequivocamente utilizada a identidade própria (designação comercial) do remetente da carta – EDP Comercial – enquanto comercializador em mercado.

Nas referidas cartas aos consumidores, há ainda menção à ausência de custos de mudança para a EDP Comercial – “voltar para a EDP é fácil e não tem custos” -, o que “induz e é entendível como uma vantagem da EDP Comercial, quando tal corresponde a um direito dos consumidores na mudança para todo e qualquer comercializador”.

Nas cartas é também referido que a mudança para a EDP Comercial não implica a “interrupção do fornecimento de energia”, o que suscita “um receio injustificado e infundado relativamente à continuidade da prestação de um serviço público essencial, entendível, além disso, como uma vantagem inerente à EDP Comercial, quando tal corresponde a um direito dos consumidores”, segundo o regulador.

De acordo com a ERSE, a medida cautelar aplicada em meados de novembro, que agora transitou em julgado, implica a cessação imediata da inserção destas referências nas “cartas de despedida” (‘goodbye letters’) que, com propósitos comerciais, são enviadas a consumidores que optaram pela mudança de comercializador.

Relacionadas

EDP lança ‘isco’ a novos clientes com descontos no gás e eletricidade

No dia em que anunciou que as tarifas do mercado livre vão subir, em média, 2,5% a partir de dia 18 de janeiro de 2018, a elétrica arrancou com uma campanha de descontos para quem aderir aos seus serviços.
Recomendadas

Bruxelas quer esclarecimentos de Centeno sobre limite de despesa no OE2019

Comissão Europeia remeteu carta ao Governo português a solicitar esclarecimentos.

Bilhetes para o futebol estão mais caros em Itália. E a culpa é de um português

A claque da Juventus já apresentou várias queixas, e através de um comunicado, explicaram que vão aos jogos mas com desagrado, já que ver a ‘Vecchia Signora’ fora de casa custa 100 euros.
AHP - Raul martins

AHP defende a sua independência e reforça confiança em Cristina Siza Vieira

A AHP continua, assim, a contar “com as reconhecidas qualidades de competência, empenho, isenção e frontalidade” da sua presidente da direção executiva, Cristina Siza Vieira.
Comentários