Espanha pode ir a eleições já em abril. Sánchez avalia possibilidade

Pedro Sánchez é primeiro-ministro de Espanha desde junho de 2018, depois da aprovação da moção de censura ao governo de Mariano Rajoy, a 1 de junho de 2018. Manifestações de domingo podem precipitar cenário eleitoral no país-vizinho.

O primeiro-ministro, Pedro Sánchez, no cargo desde junho de 2018, está a considerar convocar eleições para o dia 14 de abril, um mês e meio das eleições para o Parlamento Europeu. De acordo com o “El Mundo“, esta possibilidade surge após milhares de espanhóis terem saído à rua, no domingo, para exigir eleições antecipadas, devido à aprovação dos orçamentos gerais do Estado de 2019, cujas emendas são debatidas a partir desta terça-feira pelos deputados em Madrid e de um distanciamento do executivo de Sánchez com os partidos separatistas catalães.

Acresce, ainda, que Espanha terá eleições municipais e regionais em 26 de maio, o que também “aperta” o calendário eleitoral espanhol.

No domingo, milhares de espanhóis saíram à rua para exigir eleições antecipadas, sendo que o manifesto do protesto intitulava-se “Por uma Espanha unida, eleições já!”.Os partidos de direita, sobretudo, acusam o governo do PSOE de “humilhação do Estado sem precedentes” e argumentam que os espanhóis “não estão dispostos a tolerar mais traições ou concessões”.

No protesto contra governação de Pedro Sánchez, participaram os líderes do PP, Pablo Casado, do Ciudadanos, Albert Rivera e Santiago Abascal, líder do Vox.

Pedro Sánchez é primeiro-ministro de Espanha desde junho de 2018, depois da aprovação da moção de censura ao governo de Mariano Rajoy, a 1 de junho de 2018.

Recomendadas

Brexit: Emmanuel Macron afirma que ‘backstop’ é para manter

O presidente francês avisou Boris Johnson que a salvaguarda para a Irlanda, conhecida como ‘backstop’ é indispensável para a estabilidade política da Irlanda.

Guterres preocupado com incêndios na Amazónia

As Nações Unidas dizem, como já outros disseram antes, que a sustentabilidade da Amazónia é crítica. António Guterres diz que está “profundamente preocupado” e que Aa Amazónia tem de ser protegida”.

Presidente italiano permite aos partidos negociar novo governo até terça-feira

“Foi-me comunicado por parte de alguns partidos políticos que começaram negociações para formar outro governo” de maioria parlamentar, referiu Sergio Mattarella.
Comentários