Esta é a nova garrafa ecológica que ‘promete’ um consumo mais sustentável de água

Foi anunciado hoje o lançamento da nova garrafa ecológica e o seu serviço de reabastecimento self service.

Foi anunciado hoje, 18 de setembro, o lançamento da nova garrafa ecológica, ECO com o intuito de criar uma nova forma de consumir água que seja mais sustentável.

As novas garrafas apostam no conceito da reutilização que permite, assim, a criação de uma nova forma de consumo mais sustentável de água e permite que o consumidor consiga desenvolver e aumentar hábitos de reutilização, reduzindo os resíduos não biodegradáveis. Estas destacam-se, principalmente pela capacidade e resistência.

As garrafas têm capacidade para suportar três litros de água e poderão ser reabastecidas, em alguns supermercados, nas estações de fornecimento de água em sistema self-service. A empresa assegura que a água é filtrada e terá um preço acessível aos consumidores.

Estes cantis, apesar de serem de plástico, têm a durabilidade de um ano. Assim pretende-se reduzir drasticamente o consumo do plástico em Portugal, pois a garrafa será reutilizável sempre que pretendermos reabastecer nos supermercados.  A empresa justifica a escolha do material, dizendo se as as garrafas fossem de vidro a adesão dos consumidores não seria tão grande devido ao peso e à sua mobilidade.

Este lançamento surge apenas meses depois de a Comissão Europeia ter pressionado as empresas a comprometerem-se voluntariamente a utilizar plástico reciclado, uma medida que serve para assegurar, já em 2025, que a União Europeia utilize 10 milhões de toneladas de plástico reciclado para fazer novos produtos.

Este projeto, que tem como objetivo expandir-se por todos os mercados da Europa no próximo ano, conta com um investimento de 5 milhões de euros e antecipa reduzir cerca de 27.5 milhões de garrafas de plástico em 2019.

 

 

 

Ler mais
Recomendadas

Conselho Europeu de Inovação premeia sete entidades em Portugal

Nesta primeira ronda de financiamento, o FET Open recebeu 375 propostas e atribuiu financiamento a 236 beneficiários de 23 países europeus.

PróToiro critica OE2019 de “censura cultural” perante fim da isenção de IVA para artistas taurinos

A Federação Portuguesa de Tauromaquia repudia ”veemente” as propostas “ilegais e discriminatórias” presentes na proposta orçamental para o próximo ano. A entidade critica, por exemplo, que o IVA das touradas se mantenha nos 13% quando o de outras atividades culturais baixa para 6%.

PremiumPersistem dúvidas sobre o aumento salarial dos funcionários públicos

Centeno reiterou que só há 50 milhões de euros para os aumentos salariais. PCP remete para negociação com sindicatos, BE vai insistir na especialidade.
Comentários