Estado gastou 22 milhões de euros com advogados em 2018

A despesa teve um aumento de 63% em termos homólogos.

No ano passado, os organismos públicos gastaram 21,7 milhões de euros em contratos de consultoria e representação jurídica, o que corresponde a um aumento de 63,1% em termos homólogos, de acordo com o “Jornal de Negócios”.

Dos 547 contratos celebrados, 459 foram por ajuste direto, refere o diário de economia na edição desta segunda-feira, 7 de janeiro. Segundo a análise desta publicação, 37 organismos públicos contrataram assessoria externa acima de 100 mil euros e 42 sociedades de advogados tiveram honorários de 100 mil euros.

A subida de 8,4 milhões de euros na despesa do Estado com advogados faz com que o montante registado em 2018 faz com que atinja quase o total do valor despendido entre 2008 e 2010.

Em termos de escritórios, Vieira de Almeida, Sérvulo & Associados e Morais Leitão foram os que mais receberam.

Recomendadas

Bazaar Business Consulting traz marcas brasileiras para Portugal

Conheça alguns produtos inovadores oriundos do Brasil e que agora querem entrar no mercado português.

Juros baixos vão continuar a dar gás ao M&A em Portugal

Advogados contatados pelo JE defendem que a conjuntura permanece propícia à realização de operações de consolidação no mercado nacional. Qualidade dos ativos também será crucial, dizem.

M&A: Imobiliário e energia vão compensar desaceleração da economia

Apesar dos sinais de desaceleração económica e de o ano passado ter colocado a fasquia elevada no mercado nacional de fusões e aquisições, Portugal continuará, ainda assim, a ser visto como um país moderno, seguro e atrativo para investir em 2019, segundo os especialistas contactados pelo Jornal Económico.
Comentários