Estado gastou 22 milhões de euros com advogados em 2018

A despesa teve um aumento de 63% em termos homólogos.

No ano passado, os organismos públicos gastaram 21,7 milhões de euros em contratos de consultoria e representação jurídica, o que corresponde a um aumento de 63,1% em termos homólogos, de acordo com o “Jornal de Negócios”.

Dos 547 contratos celebrados, 459 foram por ajuste direto, refere o diário de economia na edição desta segunda-feira, 7 de janeiro. Segundo a análise desta publicação, 37 organismos públicos contrataram assessoria externa acima de 100 mil euros e 42 sociedades de advogados tiveram honorários de 100 mil euros.

A subida de 8,4 milhões de euros na despesa do Estado com advogados faz com que o montante registado em 2018 faz com que atinja quase o total do valor despendido entre 2008 e 2010.

Em termos de escritórios, Vieira de Almeida, Sérvulo & Associados e Morais Leitão foram os que mais receberam.

Recomendadas

“Praia, comida e vinho ajudaram”. O que dizem os estrangeiros que montam negócios em Portugal

A próxima edição do “Launch in Lisbon”, organizado pela incubadora Startup Lisboa para ajudar empreendedores e freelancers estrangeiros que pretendam instalar um negócio em Portugal, realiza-se entre os dias 4 e 8 de março. O Jornal Económico falou com Jeferson Valadares e Wendy van Leeuwen, que já se renderam à capital portuguesa.

CMS e jornal alemão “Die Zeit” debatem novos modelos de negócio em Davos

Na edição deste ano a discussão será sobre “O poder das plataformas: um novo modelo de negócio”. Entre os convidados estão o presidente-executivo do Deutsche Bank, o sócio executivo da IBM Automation Platform Leader Europe e o vice-presidente do Booking.com.

Contribuintes que ganham mais de mil euros continuam a reter IRS a mais, diz a PwC

A atualização das tabelas de retenção para 2019 continua a não refletir integralmente o alargamento dos escalões do IRS de 2018 para a generalidade dos trabalhadores e pensionistas com rendimento a partir de mil euros, segundo os cálculos da PwC.
Comentários