Estado perdoou 168 milhões em juros, custas e coimas de empresas

O Ministério das Finanças enviou a informação sobre o PERES ao PSD. Esta tarde, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, vai ao Parlamento falar sobre os resultados do programa.

O Ministério das Finanças enviou a informação sobre o Plano Especial de Redução do Endividamento ao Estado (PERES) ao PSD. Esta tarde, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, vai ao Parlamento falar sobre os resultados do programa.

O Estado perdoou às empresas 168,4 milhões em juros, custas e coimas através daquele regime excecional de regularização de dívidas ao Fisco e à Segurança Social. A informação foi dada ao PSD pelo gabinete de Mário Centeno e divulgada na edição desta terça-feira pelo Jornal de Negócios.

O Ministério das Finanças explicou aos sociais-democratas que 7% da receita total gerada adveio das oito empresas com maiores lucros tributáveis, embora estas sociedades representem apenas 0,009% do número de contribuintes inscritos neste último “perdão fiscal”, refere ainda o diário de economia.

O PERES permitiu a cinco empresas cotadas na Bolsa de Lisboa poupar 35,5 milhões de euros em juros e custas com a adesão a este programa do Governo, revelou o JN no final do mês passado. Entre as empresas que beneficiaram com este programa do Governo estão a EDP, a Galp, a Corticeira Amorim, a Cimpor e a Jerónimo Martins.

Nos últimos anos, as empresas foram as que mais pediram ajuda nos dois programas de perdão fiscal nos últimos anos, o regime excecional de regularização de dívidas (RERD) e o PERES. O IRC pesou mais de 50% nas dívidas fiscais, seguido pelo IVA e pelo IMI.

Esta tarde, o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Fernando Rocha Andrade, vai ao Parlamento falar sobre os resultados do PERES.

Ler mais
Relacionadas

Perdão fiscal: mais de 50% das dívidas são de IRC

Tanto no RERD, de 2013, como no PERES, de 2016, a maior ajuda pedida pelas empresas foi para pagar o IRC.

PERES: Estado perdoou 21 milhões de euros à CGD

O banco público teve de pagar 34 milhões de euros de dívida fiscal, mas mantém contestação em Tribunal. O “perdão fiscal” terá sido de 21 milhões.

EDP poupa 20 milhões de euros com adesão ao perdão fiscal

“Após uma análise detalhada, o Grupo EDP optou por aderir a este regime excecional [PERES], mediante um pagamento total de cerca de 57 342 milhares de euros”, explica a empresa no último relatório de contas.
Recomendadas

PremiumPersistem dúvidas sobre o aumento salarial dos funcionários públicos

Centeno reiterou que só há 50 milhões de euros para os aumentos salariais. PCP remete para negociação com sindicatos, BE vai insistir na especialidade.

Taxas Euribor sobem a três, seis, nove e 12 meses

As taxas Euribor subiram esta quinta-feira 0,001 pontos a três, seis, nove e 12 meses em relação a quarta-feira.

Tens 18 anos? Bruxelas volta a oferecer passes de Interrail grátis

Os jovens interessados em viajar pela Europa durante cerca de 30 dias podem candidatar-se até ao próximo dia 11 de dezembro.
Comentários