“Estão a mudar-se, e a fazê-lo em massa”. Lisboa é o novo destino dos ‘millennials’, escreve o Independent

Jornal diz que millennials não escolhem a capital portuguesa apenas como destino de férias. Freelancers e trabalhadores em áreas digitais, com flexibilidade para trabalhar a partir de qualquer local, estão a transformar Lisboa num hub.

Lisboa está ‘nas bocas do Mundo’ e, esta terça-feira, foi a vez do The Independent descrever como a cidade se está a tornar atrativa para a geração de ‘millennials’. O jornal britânico descreve como freelancers e trabalhadores em áreas digitais, com flexibilidade para trabalhar a partir de qualquer local, estão a transformar Lisboa num hub.

“Bem-vindos à ‘gig’ economia”, escreve o jornal. “Lisboa tem sido a cidade europeia por excelência desde há algum tempo; a nova Barcelona, ​​se quiser”. E enumera as razões: um clima subtropical, o custo de vida baixo, o número de bares e restaurantes e o acesso fácil às praias algarvias.

Contudo, realça que os millennials não escolhem a capital portuguesa apenas como destino de férias: “Eles estão a mudar-se, e estão a fazê-lo em massa”.

“Então por quê viver numa cidade como Londres – onde o arrendamento é muito caro e o clima uniformemente cinzento – quando se poderia reduzir para metade o custo de vida e acordar todas as manhãs com céus ensolarados?”, pergunta o jornal.

Realça que o número de cidadãos estrangeiros tem aumentado mas não tem agradado a todos os setores e aponta as queixas das associações de moradores que procuram proteger os interesses locais.

“O distrito de Alfama está no centro da nova mudança cultural de Lisboa; mas nem todos estão felizes por isso”, frisa. 

“Se há uma coisa certa, é que se pode esperar que muitos profissionais mais jovens, geograficamente flexíveis, reservem vôos para Lisboa em breve. Se a cidade será capaz de acompanhar a taxa de mudança é outra questão”, conclui.

Ler mais
Recomendadas

Cofina envia carta aos trabalhadores a garantir que “linhas editoriais” serão mantidas 

Presidente do conselho de administração da Cofina pretende que “todos os profissionais” estejam dispostos a colaborar no novo projeto. “Foi concluído um importante passo no sentido de assegurar o desenvolvimento e o crescimento da empresa e a sua sustentabilidade futura”, diz Paulo Fernandes.

Sindicato dos Jornalistas volta a pedir esclarecimentos sobre compra da Media Capital

A organização sindical já tinha manifestado “preocupação” com o negócio entre os grupos de comunicação social Cofina e Prisa e vai voltar a contactar as as duas administrações.

Bruxelas avalia até final do ano “caminho a seguir” contra ‘fake news’

A Comissão Europeia vai decidir, até final do ano, qual “o caminho a seguir” para combater as notícias falsas na União Europeia, avaliando se as medidas voluntárias existentes são suficientes ou se será necessária legislação, revelou fonte comunitária.
Comentários