Estudantes até aos 23 anos vão passar a ter 25% de desconto nos passes

O documento que será publicado amanhã em Diário da República estabelece que a partir do próximo ano letivo, todos os jovens até aos 23 anos vão poder aceder ao tarifário Sub23 e usufruir de 25% de desconto.

Universidade Aveiro

Os estudantes com idade até aos 23 anos vão passar a ter desconto de 25% nos passes. A medida anunciada pelo Governo de António Costa no ano passado vai ser publicada em Diário da República amanhã, dia 1 de setembro, e vem estender os descontos que estavam até aqui limitados a situações de carência económica a todos os estudantes até aos 23 anos.

O primeiro-ministro, António Costa, confirmou esta quinta-feira que a portaria “será publicada amanhã”. O documento estabelece que a partir do próximo ano letivo, todos os jovens até aos 23 anos que se encontrem ainda a frequentar o ensino superior têm direito a uma redução de 25% nos passes de transportes públicos, podendo assim aceder ao tarifário Sub23.

António Costa lembra que a medida se trata de uma reposição de descontos que tinham sido retirados pelo anterior Governo de Pedro Passos Coelho. Os jovens que beneficiem de ação social no ensino superior ou cujo rendimento familiar mensal seja igual ou inferior a 1,2 vezes o valor do IAS (indexante dos apoios sociais) continuarão a ter direito a 60% de desconto.

Recomendadas

Ata do IPDJ contraria afirmações do secretário de Estado do Desporto

Ata de reunião de 5 de maio de 2017 do conselho diretivo do IPDJ confirma acusação que recai sobre Vítor Pataco: Baganha teve de avocar o processo que o seu vice reteve por nove meses.

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, diz ministro

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

Decisão sobre Infarmed é coerente e teve em conta vontade dos trabalhadores, realça ministro da Saúde

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma “barreira” à deslocalização do Infarmed.
Comentários