Estudo da PwC diz que 2017 foi o melhor ano em termos de evolução da economia do mar na Madeira

O estudo diz que nem sempre os investimentos por agentes internacionais na economia do mar têm objetivo económico.

A importância da geoestratégia marítima foi o foco do estudo apresentado pela PricewaterhouseCoopers (PwC) – LEME – esta terça-feira no Auditório do Comando Operacional da Madeira. A grande novidade deste estudo, com base em dados de 2017, é que este foi o melhor ano em termos de evolução da economia do mar na Madeira. Miguel Marques, o responsável pela apresentação do estudo da PwC , explicou que “isto está em linha com o que aconteceu na economia do mar nacional, que também teve um ótimo ano em termos das indústrias do mar e da sua evolução”.

No entanto Miguel Marques não deixa de referir que “ainda se pode fazer melhor”, pois diz que “existe a crítica comum de que há um potencial enorme no mar em Portugal que não está a ser aproveitado”.

Quanto a conclusões, o estudo diz que nem sempre os investimentos por agentes internacionais na economia do mar têm objetivo económico. Isto quer dizer que há países, estados e empresas não nacionais que investem na economia do mar por razões geoestratégicas.

Esta foi a nona edição do LEME, sendo que este é o quinto ano consecutivo na Madeira.

Números importantes 

“O transporte marítimo é a base da economia globalizada que vivemos hoje”, disse o Comandante Sardinha Monteiro do Estado Maior da Armada, e os dados dizem que 55% das exportações portuguesas são feitas por via marítima e mais de 60% das importações também nos chegam por mar. Outro dado importante é que 50% do petróleo mundial circula por mar e no nosso país a importação marítima de petróleo representa 100%.

Segundo Miguel Marques, Portugal entrou pela primeira vez no LEME no top 20 dos maiores registos de navios do mundo, dando destaque à tonelagem de navios que passaram a estar registados na Madeira, o que para o responsável pela apresentação do estudo “não é fácil de acontecer”. Já no que diz respeito à construção naval há uma perspetiva de estagnação ou até mesmo de um crescimento negativo no todo mundial.

Sardinha Monteiro referiu que em termos de Zona Económica Exclusiva somos o décimo primeiro maior país do mundo.

A pesca, apesar de na União Europeia ter decrescido bastante, não diminuiu muito no todo mundial, sendo que a China detém 20% da quota da pesca mundial, mais de o dobro do país que se posiciona em segundo lugar, a Indonésia, e em terceiro está os Estados Unidos, um país que raramente é associado a esta atividade. Mais uma vez, a China é potência na aquacultura, com 62% da aquacultura mundial.

Quanto à indústria marítimo-turística o estudo diz que esta está muito dependente das questões de segurança.

A novidade é que, depois de se ter lançado o LEME Canárias, Miguel Marques anunciou o LEME Golfo da Guiné, que “já está em curso e vai estar concluído dentro de 30 ou 60 dias”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumSociedades anónimas têm quatro dias para identificar acionistas

Incumprimento pode determinar exoneração da qualidade de acionista. Advogados apontam contradições com proteção de dados

Dia da Propriedade Intelectual: Criei uma marca. O que posso fazer para a registar?

Os advogados do departamento de TMT & Propriedade Intelectual da sociedade CCA explicam o que fazer para registar uma marca. O primeiro passo? Verificar se preenche determinados requisitos para que o seu registo seja concedido. Comemora-se esta sexta-feira o Dia Mundial da Propriedade Intelectual.

Presidente do Supremo Tribunal pode receber mais 600 euros mensais do que o primeiro-ministro

Os salários dos magistrados têm um limite salarial máximo que os impede de ganhar mais do que o primeiro-ministro, mas, caso a revisão do estatuto proposta pelo PS venha a ser aprovada, termina este impedimento salarial.
Comentários