EUA gastaram 6,4 mil milhões de dólares em guerras no Médio Oriente e Ásia

Esse total é dois mil milhões a mais do que todos os gastos do governo federal durante o ano fiscal recentemente concluído. O relatório da Universidade Brown também mostra que mais de 801 mil pessoas morreram como consequência direta das guerras.

Depois do 11 de setembro, os contribuintes norte-americanos gastaram 6,4 mil milhões de dólares (5,7 biliões de euros) em guerras e ações militares no Médio Oriente e Ásia. O relatório do Instituto Watson de Assuntos Públicos e Internacionais da Universidade de Brown, também mostra que mais de 801 mil pessoas morreram como resultado direto dessas guerras. Desses, mais de 335 mil eram civis. Outros 21 milhões de pessoas foram deslocadas devido à violência.

De acordo com a investigação citada pela CNBC, esta quinta-feira, o valor de biliões reflete o custo de todo o governo federal dos EUA, desde o mandato de George W. Bush, uma vez que o preço das guerras americanas não é suportado apenas pelo Departamento de Defesa, de acordo com Neta Crawford, autora do estudo. Esse total é dois biliões a mais do que todos os gastos do governo federal durante o ano fiscal recentemente concluído, explica o estudo.

O relatório chega numa altura em que o governo Trump se prepara para retirar as forças militares norte-americanas da Síria, que tem sido palco das grandes guerra desta década.

Crawford explica que as guerras pós-11 de setembro no Iraque, Afeganistão, Paquistão e Síria expandiram-se para mais de 80 países, “tornando-se uma verdadeira guerra global ao terror”. Quanto mais as guerras se arrastarem, mais membros do serviço reivindicarão benefícios de veteranos e pagamentos de invalidez, aponta o estudo.

“Mesmo que os Estados Unidos se retirem completamente das principais zonas de guerra até o final do ano fiscal de 2020 e parem as outras operações da Guerra Global ao Terror, nas Filipinas e na África, por exemplo, a carga orçamental total das guerras pós-11 de setembro continuará aumentar à medida que os EUA pagam os custos contínuos dos cuidados dos veteranos e os juros sobre empréstimos a pagar pelas guerras ”, cita o portal de notícias a explicação de Crawford.

Em março, o Pentágono estimou que as guerras no Afeganistão, Iraque e Síria custaram a cada contribuinte 7.623 mil dólares (6,886 mil euros) até o ano fiscal de 2018.

Ler mais
Recomendadas

Partido de Evo Morales procura candidatos de consenso às presidenciais na Bolívia

O partido do ex-presidente da Bolívia Evo Morales revelou que irá procurar candidatos de consenso para as próximas eleições presidenciais e irá tomar mais tempo a consultar as bases, depois de uma reunião falhada na escolha de potenciais candidatos.

Ucrânia e FMI chegam a acordo para empréstimo de cinco mil milhões de euros

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, anunciou que a organização financeira alcançou um acordo com as autoridades da Ucrânia para um empréstimo de cinco mil milhões de euros em três anos.

Diretor de centro social teme agitação em caso de novo referendo no Reino Unido

O diretor de um centro comunitário na cidade inglesa de Hartlepool, uma das mais pobres do Reino Unido e onde quase 70% dos eleitores votaram ‘Brexit’, teme que um segundo referendo provoque agitação civil no país.
Comentários