EUA vão atacar a Coreia do Norte? “Veremos”, responde Trump

O clima está cada vez mais tenso entre Donald Trump e Kim Jong-un. Os dois países trocaram ameaças este domingo, com o presidente norte-americano a deixar a porta aberta a um conflito armado.

Kevin Lamarque/REUTERS

A troca de ameaças entre Washington e Pyongyang intensificou-se este domingo, depois de a Coreia do norte ter anunciado que testou com sucesso uma bomba de hidrogénio para ser instalada num míssil balístico intercontinental. Questionado sobre se os EUA poderão atacar a Coreia do Norte, Trump respondeu apenas que “veremos”, esta tarde, citado pela a agência Reuters.

A resposta, dada à saída de uma missa em homenagem das vítimas do furacão Harvey, foi curta, mas chegou para deixar a ideia que os EUA não excluem um ataque militar ao país de Kim Jong-un.

O presidente norte-americano também já tinha usado o Twitter para criticar o teste nuclear. Trump escreveu que as ações da Coreia do Norte “continuam a ser muito hostis e perigosas” para os EUA e que o país é uma “uma grande ameaça e fonte de embaraço para a China”.

Acrescentou que “a Coreia do Sul está a perceber, como eu disse, que o seu discurso de apaziguamento com a Coreia do Norte não funciona, eles só entendem uma coisa!”.

Entretanto a Coreia do Norte também já contra-atacou, através da agência noticiosa governamental. O regime de Kim Jong-un avisou que caso seja provocado pelos EUA, poderá responder com um “derradeiro desastre”.

“Se os imperialistas norte-americanos provocarem, estupidamente, a República Popular Democrática da Coreia, não vão ser capazes de escapar ao derradeiro desastre”, avisou este domingo a agência norte-coreana KCNA, citada pela Lusa.

 

Ler mais
Relacionadas

Coreia do Norte ameaça EUA com “derradeiro desastre” em caso de provocação

Esta madrugada, a Coreia do Norte garantiu ter testado, com sucesso, uma bomba de hidrogénio desenvolvida para ser instalada num míssil balístico intercontinental. Vários líderes mundiais condenaram as ações de Pyongyang, incluindo o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Coreia do Norte diz ter testado com sucesso lançamento de bomba de hidrogénio

Este é o sexto teste nuclear da Coreia do Norte, e o primeiro desde que Donald Trump é presidente dos Estados Unidos. A “Bomba H” é mais destrutiva do que as bombas atómicas usadas em Hiroshima e Nagasaki, que mataram mais de 200 mil pessoa.

Por que é mais perigosa a ‘guerra’ EUA-Coreia do Norte que a EUA-Rússia?

Principalmente porque não há canais de comunicação claros e diretos com a Coreia do Norte, ao contrário do que acontece com a Rússia. É impossível gerir uma situação de crise através do Twitter.

As 14 coisas (essenciais) a saber sobre a Coreia do Norte

Há um corte de cabelo aprovado pelo Governo e o líder é um deus. Um país isolado do mundo com regras e costumes diferentes que se tem destacado pelas crescentes tensões com os EUA.

Coreia do Norte: Merkel e Macron querem “endurecimento” das sanções. Trump diz que país é uma “nação nociva”

Os dois líderes falaram ao telefone e concordaram que “a última provocação lançada pelo dirigente de Pyongyang atingiu uma nova dimensão”. Também Donald Trump já reagiu no Twitter ao teste nuclear.

Coreia do Sul quer “isolar completamente” a Coreia do Norte

Através de medidas diplomáticas, a comunidade internacional quer uma resposta mais forte para condenar a Coreia do Norte.
Recomendadas

“Ele soa como nós”. Ex-líder do Klu Klux Klan elogia Bolsonaro

“Ele é sem dúvida um descendente europeu. Parece-se com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França”, qualificou o David Burke, ex-líder do Klu Klux Klan.

Dívida pública de Angola estimada em 70 mil milhões de dólares

Situação foi relatada hoje pela secretária de Estado para o Orçamento de Angola, Aia Eza da Silva, quando procedia a apresentação do Quadro Macroeconómico 2019 e os Limites da Despesa para Elaboração do Orçamento Geral do Estado (OGE) 2019.

Bolsonaro cresce nas intenções de voto, revela sondagem

Bolsonaro é o favorito à vitória na 2ª volta das eleições do Brasil. Francisco Haddad só leva a melhor entre os mais pobres e entre os eleitores do nordeste do Brasil. Brasileiros voltam às urnas dia 28.
Comentários