Eurogrupo: Ministro italiano apoia abertamente Centeno à presidência

Centeno foi escolhido, na sexta-feira, em Lisboa, como candidato oficial do PSE a presidente do Eurogrupo, numa reunião do Conselho do partido europeu.

Italy’s Finance Minister Pier Carlo Padoan attends a news conference during a G7 for Financial ministers, in the southern Italian city of Bari, Italy May 13, 2017. REUTERS/Alessandro Bianchi

O ministro italiano das Finanças, Pier Carlo Padoan, anunciou hoje que vai votar no candidatado apoiado pelo Partido Socialista Europeu (PSE), Mário Centeno, para a presidência do Eurogrupo.

“A Itália vai apoiar o candidato escolhido pelo Partido Socialista Europeu, o colega Mário Centeno”, disse Padoan, à entrada para a reunião do fórum dos ministros das Finanças dos 19 países da zona euro.

Centeno foi escolhido, na sexta-feira, em Lisboa, como candidato oficial do PSE a presidente do Eurogrupo, numa reunião do Conselho do partido europeu.

O fórum de ministros das Finanças da zona euro elege hoje, em Bruxelas, o seu novo presidente, com Mário Centeno a surgir como favorito numa corrida a quatro à liderança do Eurogrupo.

Os 19 membros da área do euro vão escolher hoje à tarde o sucessor do holandês Jeroen Dijsselbloem, tendo quatro ministros apresentado na semana passada as suas candidaturas: Mário Centeno, o luxemburguês Pierre Gramegna, o eslovaco Peter Kazimir e a letã Dana Reizniece-Ozola.

Recomendadas

Bolsa nacional escapa a ‘maré vermelha’ europeia

Se NOS e Galp Energia impulsionaram a sessão de hoje do PSI20, destaque ainda para a Sonae (valorizou 1,26% para 84,7 cêntimos) e para a Navigator (cresceu 0,76% para 4,25 euros).

Governo aprova benefícios fiscais para investimentos de 400 milhões de euros

Investimentos representam 390 milhões de euros e a criação de postos de trabalho.

Produção automóvel em Portugal cresce 101,5% em setembro

A Europa continua a ser o mercado líder nas exportações dos veículos fabricados em território nacional – com 90,2 por cento – com a Alemanha (21,4%), França (14,6%), Itália (11,9%) e Espanha (10,1%) no topo do ranking.
Comentários