Euronext dá mais um passo para comprar bolsa da Noruega

A Euronext garantiu uma participação maioritária de 50,6% dos acionistas da Oslo Børs antes de lançar oficialmente a oferta (que planeia fazer nas próximas semanas).

Reuters

O grupo financeiro pan-europeu Euronext, que está a concorrer para comprar a bolsa norueguesa, a Oslo Børs, anunciou esta sexta-feira que já conta com o apoio da maioria dos acionistas daquela praça. Em comunicado divulgado esta sexta-feira, antes da abertura do mercado, a gestora de índices deu conta de que os acionistas que representam 50,6% do capital da Oslo Børs concordaram em vender os seus títulos, antes da oferta oficial que planeiam lançar nas próximas semanas.

A Euronext refere que o facto de se ter ultrapassando o limite dos 50% do total de ações mostra “o interesse dos acionistas da Oslo Børs VPS pela oferta da Euronext a ser lançada, satisfazendo uma das condições exigidas para a sua conclusão” e dando mais “confiança” a que o resultado seja favorável.

Na nota divulgada esta manhã, pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Euronext explica que “aumentou o seu compromisso de 49,6%, conforme anunciado a 24 de dezembro de 2018, para 50,6% das ações em circulação da Oslo Børs VPS Holding ASA no contexto da oferta pública a ser lançada”. “Este compromisso de 50,6% é composto por pré-compromissos irrevogáveis ​​dos acionistas da Oslo Børs em oferecer 45,5% das ações em circulação, e partilhar compra de ações pela Euronext, representando mais 5,1% do capital (2.193.000 ações)”, pode ler-se no mesmo documento.

Na véspera de Natal veio a público que a gestora da bolsa de Lisboa tinha abordado a Oslo Børs para a compra dos seus ativos por 625 milhões de euros. O montante da oferta representa um prémio de 32% face ao preço de fecho de dia 17 de dezembro e de 34% em relação à média de preço das ações dos últimos três meses. Caso a oferta tenha ‘luz verde’, sobe para sete o número de países cujas bolsas são geridas pela Euronext (Portugal, Irlanda, Bélgica, França, Holanda, Reino Unido e, possivelmente, Noruega).

Recomendadas

Calçado vegan? Sim, também já há

Uma empresa da Póvoa de Lanhoso considera que nem mesmo uma indústria tradicional como o calçado precisa de recorrer a produtos que, do ponte de vista da sustentabilidade, não fazem sentido.

Crédito Agrícola elege nova administração a 25 de maio

A Caixa Central de Crédito Agrícola é responsável pela coordenação e supervisão das 80 Caixas de Crédito Agrícola Mútuo e é liderada por Licínio Pina desde 2013, há dois mandatos. O gestor trabalha no banco há mais de 30 anos.

Empresas começam projetos de inovação mas não conseguem acabar mais de metade

O excesso de projetos, a falta de liderança e a ausência de processos estão a bloquear o desenvolvimento das organizações mundiais, segundo o estudo “Having a successful innovation agenda”, elaborado pela multinacional Oracle.
Comentários