Euronext melhora oferta para comprar bolsa da Noruega

A gestora da bolsa de Lisboa oferece agora 158 coroas norueguesas por ação, acima das anteriores 145 e das 155 propostas pelo índice de Nova Iorque Nasdaq, o principal concorrente na operação.

O grupo financeiro pan-europeu Euronext anunciou esta segunda-feira, antes da abertura do mercado, que melhorou a sua oferta para comprar a bolsa norueguesa, a Oslo Børs. A gestora de índices europeus oferece agora 158 coroas norueguesas por ação, acima das anteriores 145 coroas e das 155 coroas sugeridas pelo adversário na compra, o norte-americano Nasdaq.

O período de aceitação da oferta, estipulado para terminar esta tarde, foi prorrogado por mais quatro semanas e expirara daqui a um mês, a 11 de março de 2019. O board da Euronext mostrou-se aberto a discutir com todos os stakeholders de forma a apresentar o seu projeto de longo prazo de criar um líder bolsista nos países nórdicos.

“Acreditamos firmemente que uma combinação com a Euronext proporcionará à Oslo Børs VPS benefícios claros e maiores em comparação com qualquer outra oferta. A Oslo Børs VPS manterá a sua identidade e integridade dentro do modelo descentralizado da Euronext, com um forte impacto na estratégia futura do grupo alargado”, disse Stéphane Boujnah, diretora executiva da Euronext, em comunicado.

A 24 de dezembro de 2018 a gestora da bolsa de Lisboa embrulhou um presente especial: anunciou que tinha abordado a Oslo Børs para a compra dos seus ativos por 625 milhões de euros. O montante da oferta representa um prémio de 32% face ao preço de fecho de dia 17 de dezembro e de 34% em relação à média de preço das ações dos últimos três meses.

No entanto, parece que os noruegueses não ficaram satisfeitos com o presente no sapatinho, à medida que a oferta dos norte-americanos parecia mais atraente, o que levou a Euronext a admitir melhorar a oferta no início deste mês. A revisão causa agora pressão nos membros do conselho de administração da Oslo Børs, uma vez que recomendaram aos acionistas (que detém uma participação de 25% na empresa) negarem a oferta da Euronext.

Caso a operação tenha ‘luz verde’, sobe para sete o número de países cujas bolsas são geridas pela Euronext (Portugal, Irlanda, Bélgica, França, Holanda, Reino Unido e, possivelmente, Noruega).

A presidente do conselho de administração da Euronext garante o papel da bolsa da Noruega como “importante centro financeiro será reforçado”. “Os trabalhadores da Oslo Børs VPS terão mais poder para desenvolver a satisfação dos seus clientes, capacidade de moldar o futuro da Euronext e da economia norueguesa”, explicou Stéphane Boujnah, na referida nota, publicada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Ler mais
Relacionadas

Euronext quer comprar bolsa da Noruega

O negócio ainda não está concluído, mas, a concretizar-se é mais um passo na concentração, depois da aquisição da bolsa da Irlanda.

Euronext dá mais um passo para comprar bolsa da Noruega

A Euronext garantiu uma participação maioritária de 50,6% dos acionistas da Oslo Børs antes de lançar oficialmente a oferta (que planeia fazer nas próximas semanas).
Recomendadas

Turcos do grupo Yilport querem Leixões perto da capacidade de Sines

Robert Yildirim, patrão do operador portuário Yilport – o segundo maior europeu -, vai aumentar a capacidade do terminal sul de Leixões para 670 mil TEU e quer ter um milhão de TEU no terminal norte.

Trabalhadores do Montepio temem que instabilidade se reflita nos resultados anuais

A Comissão de Trabalhadores refere-se às “sucessivas alterações” nos órgãos sociais do Banco Montepio. Os trabalhadores queixam-se ainda do modelo de progressão de carreiras e querem ser envolvidos no Plano de Transformação anunciado por Carlos Tavares.

CMVM, Banco de Portugal e ASF na nova autoridade de resolução

A reforma da supervisão financeira inclui a criação de uma autoridade de resolução bancária que vai ter na administração dois membros do BdP, um da CMVM, um da ASF e um quinto, que virá de fora.
Comentários