Eurostat: até julho Portugal registou 8,8 mil milhões de défice da Balança de Bens

As exportações de bens face ao período homólogo aumentaram 8% neste período, tendo-se verificado um crescimento das exportações intra-UE (10%) e uma diminuição nas exportações extra-UE (-1%). As importações de bens aumentaram 9% neste período.

Segundo o Eurostat, entre janeiro e julho de 2018, Portugal registou um défice da Balança de Bens de 8,8 mil milhões de euros, o que compara com um défice de 7,5 mil milhões de euros registado no período homólogo.

Os dados do gabinete europeu de estatísticas, trabalhados pelo Gabinete de Estudos Económicos, revelam que as exportações de bens face ao período homólogo aumentaram 8% neste período, tendo-se verificado um crescimento das exportações intra-UE (10%) e uma diminuição nas exportações extra-UE (-1%). As importações de bens aumentaram 9% neste período.

O Estado-Membro da União Europeia em que se observou o maior excedente da Balança de Bens foi a Alemanha (141,2 mil milhões de euros), seguida da Holanda (36,2 mil milhões de euros), Irlanda (29,7 mil milhões de euros) e Itália (24,7 mil milhões de euros). O Reino Unido foi o Estado-Membro onde se registou o maior défice (88,8 mil milhões de euros), seguido de França (47,2 mil milhões de euros) e Espanha (19,7 mil milhões de euros).

Entre janeiro e julho de 2018, a Balança de Bens da Zona Euro com o resto do mundo registou um excedente de 118,5 mil milhões de euros, o que compara com um excedente de 125,3 mil milhões de euros no período homólogo, diz o Eurostat.

Neste período, as exportações de bens para fora da Zona Euro aumentaram 4,0% num ano face ao período homólogo e o comércio dentro da Zona Euro aumentou 6,0% (também variação homóloga anual).

Até julho a Balança de Bens da UE a 28 com o resto do mundo registou um défice de 4,1 mil milhões de euros, o que compara com um excedente de 6,3 mil milhões de euros no período homólogo.

As exportações de bens da UE a 28 para o resto do mundo aumentaram 3,6% (variação homóloga anual) neste período e o comércio dentro da região aumentou 5,6%.

Ler mais
Recomendadas

Ministro afirma que salário mínimo de 600 euros em 2019 “é ponto de partida”

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, falava à saída da reunião da Concertação Social, em Lisboa, onde começou esta tarde a ser discutido o aumento do salário mínimo nacional para 2019. Atualmente é de 580 euros.

Economia terá expandido 2,2% no terceiro trimestre, com procura externa a provocar abrandamento

O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulga os números do PIB esta quarta-feira às 11 horas, e a confirmar-se a previsão, será uma ligeira desaceleração face à expansão homóloga de 2,3% no trimestre anterior. Em cadeia, ou seja, face ao segundo trimestre, a estimativa média aponta para os 0,5%.

Fundo para investigar desaparecimento de Madeleine McCann reforçado com mais 167 mil euros

Financiamento será direcionado para os próximos seis meses de investigação, ou seja, até 31 de março do próximo ano. Até hoje, e passados 11 anos do desaparecido de Madeleine McCann, a Operação Grange custou 11,6 milhões de libras (mais de 12 milhões de euros).
Comentários