Ex-presidente da Nissan nega acusações perante juiz

Carlos Ghosn negou esta terça-feira perante um juiz as acusações feitas contra ele, na primeira aparição pública após a detenção em Tóquio, a 19 de novembro.

Carlos Ghosn

O ex-presidente da Nissan Carlos Ghosn negou esta terça-feira perante um juiz as acusações feitas contra ele, na primeira aparição pública após a detenção em Tóquio, a 19 de novembro.

Ghosn, de 64 anos, é acusado de ter escondido das autoridades tributárias valores milionários acordados com a Nissan desde 2011 e de violar a confiança da empresa ao tentar encobrir perdas financeiras pessoais.

Ghosn está à espera de julgamento, mas esta audição foi programada para ser apenas informado das acusações que sobre ele pendem.

“Eu sou inocente (…). Eu fui acusado injustamente”, disse Ghosn.

“Eu só tenho amor e gratidão, do fundo do meu coração, à Nissan. Eu dediquei todos os meus esforços à Nissan e levei a cabo os meus deveres de forma justa, correta e legal”, insistiu.

Na audiência, solicitada pelos advogados de Ghosn, o juiz leu as acusações e informou que a detenção do ex-responsável da Nissan justifica-se para evitar que este fuja do país e destrua provas.

Ler mais
Relacionadas

Executivo da Nissan deixa cargo após prisão de Carlos Ghosn

José Munoz, membro sénior da construtora japonesa tirou uma licença “para que possa ajudar a empresa, concentrando-se em tarefas especiais decorrentes de eventos recentes”, referiu a Nissan em comunicado.

Detenção do antigo presidente da Nissan prolongada por mais 10 dias

O Tribunal Distrital de Tóquio informou que decidiu aceitar o pedido dos procurados do Ministério Público, para a detenção ser prolongada até 11 de janeiro, de maneira a encontrarem mais provas para uma nova acusação.
Recomendadas

Standard & Poor’s volta a subir rating do Banco BPI

Agência destaca a sólida posição do BPI no negócio de banca comercial em Portugal e uma qualidade dos ativos melhor do que os competidores domésticos.

Deutsche Bank terá emprestado 2 mil milhões de dólares a Donald Trump durante 20 anos

Antes de ser eleito, foram concedidos pelo banco alemão empréstimos no valor 2 mil milhões de dólares a Donald Trump. O relatório do ”New York Times” avança que estas cedências foram feitas num espaço de duas décadas.

FPF ‘rasga’ acordo polémico com a RTP

Memorando entre Federação Portuguesa de Futebol e RTP era contestado pela Comissão de Trabalhadores da estação pública de rádio e televisão.
Comentários