Excedente externo diminui 74% até julho

Balanças corrente e de capital apresentaram um saldo positivo de 280 milhões de euros, depois de um excedente de 1058 milhões de euros no mesmo período de 2016.

Rafael Marchante / Reuters

Nos primeiros sete meses do ano, as balanças corrente e de capital apresentaram um saldo positivo de 280 milhões de euros, depois de um excedente de 1058 milhões de euros no mesmo período de 2016. Esta redução homóloga de 74% do saldo externo do país foi revelada hoje pelo Banco de Portugal, que justifica esta evolução com o comportamento das balanças de bens, de rendimento primário e de capital.

O excedente da balança de serviços, em 1026 milhões de euros, foi “insuficiente para compensar o incremento do défice da balança de bens de 1685 milhões de euros”, refere uma nota do banco central. Assim, a balança de bens e serviços até julho registou um excedente de 1596 milhões de euros, menos 659 milhões de euros do que no período homólogo.

A diminuição da balança de bens e serviços ocorre mesmo com um bom desempenho da rubrica “Viagens e turismo”. O excedente aumentou 1010 milhões de euros, fixando-se em 5396 milhões de euros. No mês de julho, o saldo desta rubrica foi de 1443 milhões de euros.

Já o défice da balança de rendimento primário cresceu 345 milhões de euros, situando-se em 3299 milhões de euros. “Esta evolução deveu-se, sobretudo, à redução de subsídios recebidos da União Europeia e ao aumento do défice da balança de rendimentos de investimento”, explica o BdP.

O comunicado do banco central refere ainda que, nos primeiros sete meses de 2017, o saldo da balança financeira registou um acréscimo dos ativos líquidos de Portugal sobre o exterior no valor de 907 milhões de euros. “Este aumento traduziu-se, essencialmente, no investimento em títulos de dívida por parte do setor financeiro e na redução do passivo das administrações públicas”.

Destaca-se, em julho, o reembolso antecipado ao FMI de 1,7 mil milhões de euros, relativo ao empréstimo no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira.

Ler mais
Recomendadas

Regionais em Espanha: PSOE ganha mas precisa de fazer acordos para governar

As sondagens publicadas, principalmente a elaborada pelo Centro de Investigações Sociológicas (CIS), um organismo público que realiza este tipo de análises, indica que os socialistas espanhóis irão ser os mais votados em 10 das 12 Comunidades Autónomas que vão a votos.

Lançada a primeira rota internacional do vinho na Península Ibérica

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Duero-Douro é um projeto à escala europeia com a finalidade de promover o território transfronteiriço.

Porcos podem complicar negociações comerciais entre EUA e China

A queda da importação de soja dos Estados Unidos para alimentar os porcos na China pode dificultar as negociações comerciais entre os dois países, segundo um estudo do HSBC Global Research, noticia a Sky News.
Comentários