Exportações de vestuário cresceram 2,2% nos primeiros cinco meses do ano

As exportações superaram os 1.330 milhões de euros entre janeiro e maio deste ano. Entre os principais mercados, Itália, Países Baixos e Dinamarca foram os principais impulsionadores das vendas ao exterior.

Ler mais

Nos primeiros cinco meses do ano, as exportações de vestuário superaram os 1.330 milhões de euros, um crescimento de 2,2% face ao mesmo período do ano passado.

Entre os principais mercados, Itália, Países Baixos e Dinamarca foram os principais impulsionadores das vendas ao exterior.

Segundo os dados divulgados pela ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confeção, entre janeiro e maio, as exportações portuguesas de vestuário aceleraram e cresceram 2,2% em comparação com o mesmo período do ano passado, registando um valor de 1.336,23 milhões de euros.

“As exportações extra-UE registaram um aumento superior ao das intracomunitárias (+3,7% em comparação com 2,1%), suportado pela subida dos envios de vestuário ‘made in Portugal’ para os EUA (+6%)”, realça um comunicado da ANIVEC.

Por seu turno, nos mercados intracomunitários, destaca-se a continuação de um crescimento acentuado nas exportações para Itália (+58,8%), para os Países Baixos (+18,8%) e para a Dinamarca (+18,8%).

“De registar ainda o aumento das compras de vestuário de países como França (+5,4%), Suíça (+54,2%) e Bélgica (+6,2%)”, acrescenta o comunicado da ANIVEC.

“Portugal continua a marcar pontos nos mercados internacionais onde a qualidade e o ‘design’ é mais valorizado, nomeadamente Itália, mas também em França, nos Países Baixos e nos EUA. Isso demonstra que o ‘know-how’ nacional – com tudo o que lhe está associado, do ‘design’ ao serviço – soube impor-se nos últimos anos e as empresas portuguesas estão agora a colher os frutos dessa aposta», considera César Araújo, presidente da direção da ANIVEC.

 

Recomendadas

Cadeia RIU ignora Brexit e compra hotel por 250 milhões de euros em Londres

A rede hoteleira espanhola Riu Hotels & Resorts comprou o primeiro hotel no Reino Unido para aproveitar o crescimento do turismo na capital Londres.

Standard & Poor’s mantém rating do Metro de Lisboa e melhora perspetiva

A agência de rating Standard & Poor’s manteve o rating de longo prazo da empresa pública Metropolitano de Lisboa em BBB-, que é a notação mais baixa do grau de investimento. Mas, à semelhança da classificação emitida na semana passada à dívida do Estado português, melhorou a perspetiva (outlook) de estável para positiva.

Novas transferências bancárias imediatas chegam a 95% das contas portuguesas

O novo subsistema de transferências foi desenvolvido com base nos requisitos pan-europeus estabelecidos para o processamento destas operações. Ficou, terça-feira, disponível apenas entre contas portuguesas, mas o plano é que se estendam a todos os países da SEPA.
Comentários