EY: “A revolução digital está a transformar o setor financeiro”

A EY Portugal vai organizar no dia 14 de novembro um conferência sobre Transformação Digital no Setor da Banca e Seguros, que será conduzida por Francisco Manuel Barbeira, líder de Transformação Digital, IT, Operações, Eficiência, Segurança e Procurement no Banco BPI.

O setor da banca e seguros é dos que está a sofrer um maior impacto da revolução digital, segundo a análise da EY Portugal, que vai organizar na próxima semana uma conferência para debater o tema. Segundo a consultora, a transformação tecnológica continuará a causar mudanças e desafios no setor financeiro e nos negócios.

“A revolução digital está a transformar o setor financeiro a uma velocidade acelerada, com um impacto imediato mais acentuado do que na generalidade dos sectores e com consequências que terão efeitos disruptivos em muitas atividades económicas. A inovação tornou-se um fator de sucesso crítico para este setor”, explicou Miguel Simões, associate partner da EY Portugal, em comunicado.

Entre os temas que serão discutidos no dia 14 de novembro, na conferência Transformação Digital no Setor da Banca e Seguros, estão os novos sistemas de pagamento. Um assunto sobre o qual Miguel Simões sublinha que “as criptomoedas, a bitcoin ou mesmo a utilização de blockchain e a adoção de meios de pagamento menos dependentes de soluções bancárias tradicionais, são já uma realidade e estão a surgir para responder de forma direcionada e personalizada aos clientes”.

 

Recomendadas

Nasce manifesto anti-Tomás Correia para o Montepio

Um conjunto composto por várias dezenas de associados e associadas da Associação Mutualista Montepio decidiu assinar um Manifesto, intitulado ‘Construir a Confiança – Por um Montepio Competente, Solidário e Responsável’.

Elisa Ferreira: Banca portuguesa está a caminho da estabilização, mas “os riscos” continuam.

A vice-Governadora do Banco de Portugal que tem o pelouro da supervisão diz em entrevista à Antena 1/Negócios que “a Banca portuguesa intervencionada está a caminho da estabilização, mas os riscos continuam”, sem no entanto detalhar. “O risco de uma nova crise vem da nova economia, das bitcoins e dos chamados bancos sombra”, defendeu na mesma entrevista Elisa Ferreira.

PremiumCarlos Tavares pede autorização para ser ‘Chairman’ e CEO por mais tempo

O nome de Álvaro Nascimento foi rejeitado pelos membros do Conselho Geral da Associação Mutualista. A CEMG precisa de escolher novo ‘Chairman’.
Comentários