EY Portugal contrata 300 jovens no próximo ano

Há vagas nas áreas de Finanças, Gestão, Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

A EY Portugal tem tudo a postos para receber mais 300 jovens, sejam eles de Economia, Gestão, Ciências, Tecnologias, Engenharias e Matemáticas, no decorrer do próximo ano.

O processo de recrutamento da EY para 2019, que já arrancou, tem como finalidade conhecer e avaliar um conjunto alargado de estudantes não só das áreas de Finanças e de Gestão, como também de Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática.

“A revolução tecnológica que estamos a viver pressupõe, a existência de equipas multidisciplinares e é por este motivo que estamos a intensificar a contratação de new graduates com diversos backgrounds técnicos e científicos. Nesta matéria, para além das habituais áreas de gestão e economia, as STEMs (Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) representam, igualmente, um recurso fundamental para um mundo em permanente mudança”, referiu Margarida Dias, Directora da Talent Team da EY Portugal.

“Este é um desafio exigente e começa logo quando estes estudantes nos perguntam, “mas o que faz um Engenheiro numa Auditora? Ou um Matemático numa Consultora como a EY? Ou um Informático em Fiscalidade?” Certo é que os 27% de STEMs que começaram aqui as suas carreiras neste ultimo ano, estão muito entusiasmados com as perspectivas de carreira, formação e desenvolvimento que vieram encontrar na EY e que anteriormente desconheciam por completo. Tem-nos ajudado, e muito, a celebração de diversas parcerias que temos vindo a estabelecer e a reforçar com as escolas nacionais que formam estudantes com estes backgrounds”, concluiu a responsável.

PCGuia
Recomendadas

Portugal pode “fortalecer mecanismo de acusação penal”, considera OCDE

No relatório sobre Portugal, a OCDE explica que a avaliação do nível de corrupção é difícil, uma vez que os indicadores existentes se baseiam principalmente em percepções. Recomenda ainda que Ministério Público deve “continuar a melhorar a capacidade” para combater a criminalidade económica e financeira.

Premium“Hoje as pessoas são jovens advogados até aos 45 anos”

Ana Rita Duarte Campos, presidente do Instituto de Apoio aos Jovens Advogados, teme que os recém-chegados à profissão, munidos de tecnologia, não vejam na advocacia um emprego apelativo e socialmente importante.

Câmara de Comércio Internacional debate conflitos de interesses em Lisboa

Maria José Morgado, procuradora do Supremo Tribunal de Justiça, é uma das oradoras no evento que se realiza na quinta-feira no centro de Lisboa da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa.
Comentários