Face Oculta: Armando Vara vai reclamar da decisão do Constitucional

O antigo ministro vai reclamar da decisão do Tribunal Constitucional que rejeitou o recurso da sua condenação a cinco anos de prisão efetiva, no âmbito do processo Face Oculta, disse hoje o seu advogado.

O antigo ministro Armando Vara vai reclamar da decisão do Tribunal Constitucional (TC) que rejeitou o recurso da sua condenação a cinco anos de prisão efetiva, no âmbito do processo Face Oculta, disse hoje o seu advogado.

Em declarações à agência Lusa, o advogado Tiago Rodrigues Bastos confirmou que “vai apresentar uma reclamação” para a conferência de juízes do TC, evitando assim que o ex-ministro comece já a cumprir a pena.

Numa decisão sumária, com data de 10 de julho de 2018, o TC decidiu “não conhecer do objeto” do recurso interposto por Armando Vara.

Na decisão, a relatora conselheira Fátima Mata-Mouros analisou várias questões de inconstitucionalidade suscitadas pelo arguido, incluindo questões relacionadas com a utilização e destruição das escutas em que terá intervido o então primeiro ministro José Sócrates.

Recomendadas

Fernando Pinto enfrenta denúncia anónima de gestão danosa na TAP

Ainda não se sabe se o Ministério Público irá deduzir acusação ou irá arquivar este processo.

Ministério Público suspendeu operações bancárias no valor de 200 milhões este ano

O diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Amadeu Guerra, num balanço do projeto ETHOS, revelou que “o valor das suspensões de operações bancárias em inquérito foi, já este ano, de cerca de 200 milhões de euros”, valor muito superior aos 16 milhões arrecadados no ano passado.

Polémica. Concurso para publicidade exterior gera ‘guerra’ entre MOP e autarquia de Lisboa

A Multimedia Outdoors Portugal apresentou junto do Tribunal Administrativo o documento para impedir a adjudicação, pela Câmara Municipal de Lisboa, de uma proposta que é ilegal e menos vantajosa no concurso para a concessão da publicidade exterior.
Comentários