Facebook admite ter funcionários a ouvir e transcrever mensagens áudio

A empresa gestora da famosa rede social “desculpa-se” com o argumento de procurar melhorar a tecnologia de inteligência artificial que usa para interpretar mensagens de áudio que, posteriormente, podem servir para traduzir texto ou simplificar comandos de voz.

A Facebook admitiu que tem funcionários encarregados de ouvir e transcrever mensagens de áudio dos utilizadores da rede social, criada por Mark Zuckerberg em 2004, depois da Google, Apple e Microsoft terem vindo a público admitir este tipo de práticas. A empresa gestora da famosa rede social “desculpa-se” com argumentos idênticos aos das tecnológicas mencionadas, em declarações à “Bloomberg” esta quarta-feira.

A empresa de Zuckerberg diz que recorre a funcionários para ouvir e transcrever mensagens de aúdio para melhorar a tecnologia de inteligência artificial usada para interpretar mensagens de áudio que, posteriormente, podem servir para traduzir texto ou simplificar comandos de voz.

O problema que envolve estas companhias e neste ultimo caso, o Facebook, prende-se com a falta de transparência nestas operações, visto que em matéria de políticas de privacidade apresentada aos utilizadores a rede social não específica que os dados fornecidos na plataforma são analisados por outras pessoas.

A Facebook, entretanto, já anunciou que “congelou” esta atividade, e admitiu que o desenvolvimento deste tipo de inteligência artificial poderá ter de esperar, a fim de encontrar uma solução que não coloque em causa a privacidade dos utilizadores da rede social.

Em julho deste ano, a Facebook foi multada em 4,5 mil milhões de euros na sequência do escândalo que envolveu a Cambridge Analytica, pelo uso indevido de dados pessoais para fins políticos, que terão sido fundamentais na eleição de Donald Trump para a Casa Branca em 2016.

Relacionadas

Facebook, Google e Amazon vão depor contra a “taxa Google” imposta em França

O Executivo francês aprovou uma taxa de 3% que será aplicada às receitas de serviços digitais obtidos naquele país. Em junho, o presidente Donald Trump ameaçou impor tarifas sobre o vinho francês na sequência deste imposto.

Siri ouve aquilo que não devia ouvir. Apple vai avaliar o problema

As preocupações surgem após a Bloomberg noticiar que a Apple, Amazon e Google ouviam as conversas privadas dos seus clientes. Enquanto estamos a realizar uma revisão completa, vamos suspender a avaliação da Siri de forma global”, admite a empresa de Cupertino.

Microsoft admite que ouve as chamadas das pessoas no Skype

A Microsoft admitiu que ouve e analisa as chamadas de Skype, e também os comandos do serviço de voz Cortana. Ainda que a empresa tenha dito que só o faria caso os seus usuários aceitassem, um relatório elaborado pela Vice, citada pelo El Mundo, revela que a gigante norte-americana o faz sem o consentimento dos […]
Recomendadas

Hackers estão a passar vírus através de cópias dos jogos mais populares

Mais de 930 mil utilizadores foram atingidos por este tipo de ataques no período de Junho de 2018 a Junho de 2019.

Protestos em Hong Kong podem atrasar entrada da Alibaba na bolsa asiática

A empresa chinesa prepara-se para lançar o maior IPO de 2019 ainda no terceiro trimestre do ano, mas os protestos em Hong Kong estarão a fazer com que o grupo cotado em Wall Street pondere outra data, segundo fontes da Reuters.

Tecnologias “vão ameaçar grandes partes do negócio” dos seguros, afirma Ageas

O diretor da Vida e Pensões da Ageas Portugal, Nelson Machado, considera que o seguro automóvel tradicional daqui a dez anos não vai ser como é hoje.
Comentários