Faturação da Semapa caiu 2,5% no primeiro trimestre

As exportações e vendas no exterior ascenderam a 387,5 milhões de euros, o que representa 76,2% do volume de negócios.

779 milhões de euros
Ler mais

O volume de negócios consolidado do Grupo Semapa no primeiro trimestre de 2018 foi de 508,7 milhões de euros, resultando num decréscimo de 2,5% face ao período homólogo.

As exportações e vendas no exterior ascenderam a 387,5 milhões de euros, o que representa 76,2% do volume de negócios.

O EBITDA do primeiro trimestre de 2018 aumentou cerca de 16,6% face a igual período do ano anterior, atingindo 129,6 milhões de euros.

O lucro da ‘holding’ liderada por Pedro Queiroz Pereira nos primeiros três meses deste ano cresceu 90,3% face ao período homólogo, para 27,2 milhões de euros.

A administração da Semapa explica este crescimento dos lucros com o aumento do EBITDA total em cerca de 18,4 milhões de euros, “sendo a Navigator a responsável por este crescimento”.

A redução de amortizações, perdas por imparidade e provisões no valor de 6,3 milhões de euros; a redução dos resultados financeiros líquidos em cerca de um milhão de euros face ao período homólogo e  aumento dos impostos sobre o rendimento em cerca de 5,6 milhões de euros são outros fatores explicativos para os lucros obtidos pela Semapa no primeiro trimestre deste ano.

Neste período, a Semapa conseguiu reduzir a dívida consolidada em 116,1 milhões de euros, para 1.557,5 milhões de euros.

 

Recomendadas

Ford condenada a pagar 611 mil euros por vender carros com defeito na Tailândia

A maioria dos queixosos deste processo coletivo vai receber pagamentos entre os 6,79 euros e os 679 euros, dependendo do número de vezes e do tempo que os carros passaram nas oficinas de automóveis a serem reparados.

Leia aqui o Jornal Económico desta semana

Leia todas as edições do Jornal Económico, na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o Jornal Económico. Apoie o jornalismo independente.

“A Associação Mutualista vai voltar a ter resultados positivos este ano”

Tomás Correia diz que este ano a Associação vai ter lucros e vai começar a libertar imparidades da Caixa Económica, o que ajuda os lucros e os capitais próprios. Recusa qualquer relação privilegiada com o BES e admite escolher em breve o ‘Chairman’ do banco.
Comentários