‘Fair play’ financeiro: UEFA pede mais investigação ao Paris Saint-Germain

Investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

O Paris Saint-Germain, que tem estado sob vigilência da UEFA devido às regras do ‘fair play’ financeiro, vai ser alvo de nova investigação por parte de uma câmara do organismo que tutela o futebol europeu, foi hoje anunciado.

A investigação do corpo de controlo das finanças de clubes (CFCB) da UEFA tinha sido encerrada no verão, mas a UEFA decidiu reenviar o caso para a Câmara Investigatória desse órgão, para uma investigação mais aprofundada.

O clube tem estado sob escrutínio do organismo de cúpula do futebol europeu depois das contratações do brasileiro Neymar, por 222 milhões de euros, e do francês Mbappé, por 180 milhões, no defeso de 2017, levantando questões sobre o cumprimento das regras do ‘fair play’ financeiro.

Em abril, a Autoridade para o Controlo Financeiro dos Clubes concluiu que os contratos de patrocínio do clube francês com várias empresas, associadas ao grupo do Qatar que detém o clube, foram “significativamente sobrevalorizados”.

A UEFA nomeou, então, a empresa independente Octagon para estimar os contratos firmados com empresas próximas do estado do Qatar, que financia o Qatar Sports Investment, dono dos parisienses.

As regras estipulam que um clube a participar nas competições europeias não pode apresentar um défice entre a receita e a despesa superior a 30 milhões de euros num espaço de três anos, mesmo sendo apoiado por um dono com vontade de investir no clube.

Em 2014, o clube já tinha sido sancionado por um contrato com o Turismo do Qatar, que a UEFA considerou sobrevalorizado, tendo pagado uma multa e sofrido restrições nas inscrições de jogadores na Liga dos Campeões, entretanto levantadas.

Ler mais
Recomendadas

Setor da cerveja injeta na economia europeia o equivalente ao PIB do Luxemburgo

O setor da cerveja injetou 50 mil milhões de euros na economia europeia, o equivalente ao PIB do Luxemburgo. As 9.500 cervejeiras geram ainda cerca de 2,3 milhões de empregos, segundo o último relatório da organização Brewers of Europe sobre o comportamento do setor.

Trabalhadores dos supermercados em greve na véspera de Natal

Trabalhadores das empresas de distribuição (super e hipermercados, armazéns e logísticas das empresas de distribuição, grandes armazéns e lojas especializadas) “vão estar em greve dia 24 de dezembro de 2018”, diz comunicado do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal.

Novo crédito ao consumo sobe 14% até outubro para quase 3,9 mil milhões de euros

Os bancos concederam 397 milhões de euros em novos créditos ao consumo em outubro, ascendendo o total desde janeiro aos 3,882 mil milhões de euros, mais 14% do que em 2017, divulgou esta terça-feira o Banco de Portugal.
Comentários