Farage não é candidato nas legislativas de dezembro do Reino Unido

O político eurocético Nigel Farage anunciou hoje que não será candidato nas eleições legislativas britânicas de 12 de dezembro, preferindo percorrer o país para apoiar as centenas de candidatos do Partido do Brexit, que lidera.

Dylan Martinez/Reuters

“Refleti muito [sobre essa questão]”, afirmou em declarações à BBC Nigel Farage, que por sete vezes tentou, sem sucesso, ser eleito para a Câmara dos Comuns.

“Tento ser eleito para o Parlamento ou será que sirvo melhor a causa percorrendo todo o Reino Unido para apoiar os 600 candidatos? Decidi que a última opção é a melhor”, acrescentou o antigo ‘trader’ no mercado financeiro de Londres, de 55 anos, assegurando que não pretender “passar o resto da vida na política”.

Farage voltou a criticar o acordo de saída da União Europeia (UE) negociado pelo primeiro-ministro Boris Johnson, afirmando que era um ‘Brexit’ favorável aos apoiantes da manutenção do Reino Unido na UE.

O Partido do Brexit foi fundado no início deste ano para pressionar o Governo conservador a romper com a UE e foi o mais votado nas eleições europeias de maio, com 31,6% dos votos. Porém, ainda não tem assento na Câmara dos Comuns.

O Reino Unido aceitou na semana passada um novo prolongamento do processo para o ‘Brexit’, que estava previsto terminar na quinta-feira, mas que agora pode ser concluído até 31 de janeiro.

Para desbloquear o impasse político no parlamento britânico, que chumbou três vezes um acordo negociado por Theresa May e recusou aprovar em três dias o acordo negociado por Boris Johnson, inviabilizando assim a saída no final de outubro, foi aprovada na terça-feira a realização de eleições legislativas antecipadas a 12 de dezembro, tendo o governo suspendido a legislação relacionada com o acordo para depois do escrutínio.

Relacionadas

Jeremy Corbyn não confia em Boris Jonhson e vai chumbar proposta para eleições a 12 de dezembro

Corbyn admitiu serem “necessárias umas eleições antecipadas”, mas questiona a necessidade de serem realizadas em dezembro, invocando questões como os dias serem mais curtos e as férias de natal das universidades, lembrando que já se realizam eleições naquele mês desde 1923.

Brexit: próxima batalha passa pelos ‘traidores’

Tanto os Conservadores como os Trabalhistas estão a fazer tudo para angariar parlamentares do partido contrário que possam estar interessados em alinhar com o partido a que não pertencem. No Reino Unido, chamam-se ‘rebeldes’.

Governo britânico forçado a pedir adiamento do Brexit até ser regulamentado acordo

A Câmara dos Comuns votou este sábado a favor de uma proposta que força o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a pedir um adiamento do Brexit até ser aprovada no parlamento britânico a legislação que regulamente o acordo de saída.
Recomendadas

Regulador americano autoriza terceira dose da Pfizer para idosos e adultos de risco

A Food and Drug Administration (FDA) anunciou que os adultos com mais de 65 anos podem receber a terceira dose da vacina desenvolvida pela Pfizer/BioNTech, desde que seis meses após a segunda dose. A autorização estende-se ainda a adultos que estejam em risco elevado de contrair complicações severas após a infeção.

Sondagem indica que Lula ganharia as eleições presidenciais brasileiras à primeira volta

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva ganharia as eleições presidenciais na primeira volta se as eleições, marcadas para outubro de 2022, fossem realizadas hoje, de acordo com uma sondagem de opinião divulgada na quarta-feira.

Josep Borrel manteve encontro com ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão

O chefe da diplomacia da União Europeia diz que o regime de Teerão está interessado em regressar a Viena para continuar as negociações em torno do Acordo Nuclear de 2015.
Comentários