Fatores que contribuem para o sucesso de uma transação

Num contexto de dinamismo no mercado de Fusões e Aquisições (M&A) em Portugal, e como profissionais na área, temos assistido a que, por vezes, a falta de preparação e experiência das estruturas acionistas, especialmente em PME (que muitas vezes são estruturas familiares), condicionam o sucesso de uma transação. Nesse sentido, gostaríamos de elencar alguns dos […]

Num contexto de dinamismo no mercado de Fusões e Aquisições (M&A) em Portugal, e como profissionais na área, temos assistido a que, por vezes, a falta de preparação e experiência das estruturas acionistas, especialmente em PME (que muitas vezes são estruturas familiares), condicionam o sucesso de uma transação. Nesse sentido, gostaríamos de elencar alguns dos aspetos que podem ser determinantes para o sucesso de um processo de M&A:

1) Preparação da transação – A definição da estratégia de saída e a preparação do ativo para a venda garantem, geralmente, uma maximização do valor para o acionista. Esta preparação regra geral envolve: compreensão das perspetivas e histórico de M&A do setor; alinhamento das expetativas de preço; estrutura da transação; identificação de potenciais investidores, etc.

2) Implicações futuras após transação – Importa conhecer as implicações que podem resultar num processo de M&A, sejam elas fiscais (ex: apuramento das mais-valias), legais (ex: contingências), comerciais (ex: cláusulas de não concorrência), ou outras. Estas implicações podem, quando desconhecidas, invalidar negócios em fases avançadas de análise/negociação, resultando em impactos negativos e desnecessários (financeiros, reputacionais, etc.).

3) Mecanismos de ajuste ao preço – Na primeira fase de negociação (Oferta Não Vinculativa), existe um pré-acordo relativamente ao valor da transação. No entanto ainda estão por realizar diligências necessárias até ao fecho da mesma (i.e. due diligence). Assim, é fundamental que sejam definidos e compreendidos os ajustamentos ao preço que poderão resultar após due diligence. Para isso, a experiência passada dos interlocutores e o grau de profissionalização da operação tornam-se importantes para clarificar o entendimento das ofertas e os pressupostos associados.

4) Experiência em negociação – Nesta fase, a presença de especialistas com experiência pode ser um elemento facilitador. É frequente que os processos de negociação sejam liderados por uma equipa de profissionais de M&A (assessores) e a condução das negociações por parte destas equipas permite um menor desgaste relacional entre as partes e tende a assegurar uma maximização do valor da transação.
Em resumo, consideramos que quanto maior é a preparação e o conhecimento das partes relativamente a um processo de M&A, e quanto menores as assimetrias de informação entre as partes, maior é a probabilidade de sucesso.

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (Convites, Newsletters, Estudos, etc), por favor Clique aqui

Recomendadas

2020: quais as expectativas para a ação climática?

A emergência climática nunca foi tão atual. Na cimeira do clima em Madrid, foi evidente o desalinhamento entre a opinião pública e os avanços das negociações. Esta “oportunidade perdida”, como refere António Guterres, deve dar lugar a ação concreta.

Faturação eletrónica – uma oportunidade de transformação digital para as empresas

Se desde 18 de Abril de 2019, uma parte significativa da Administração Pública, já tinha a obrigação de receber e processar faturas eletrónicas, a partir de 18 de Abril de 2020, a globalidade da Administração Pública (tal como definida no artigo 3.º do Código dos Contratos Públicos) estará obrigada a receber e processar faturas eletrónicas.

Deverá o Plano Diretor Digital (PDD) ser o instrumento de transformação digital dos Municípios?

De há uns anos para cá tem existido um elevado grau de entusiasmo com a transformação digital das cidades portuguesas em cidades inteligentes, no entanto, são raros os casos de sucesso.
Comentários