FENPROF já saiu do Ministério da Educação. Greve de professores mantém-se

Tal como estava previsto, a greve de professores marcada para esta quarta-feira, dia 15 de novembro, mantém-se. Isso mesmo reafirmou Mário Nogueira perto das 19h00 à saída de uma reunião no Ministério da Educação.

Foto cedida
Ler mais

A grande mobilização dos professores prevista para amanhã obrigou o Governo a marcar reuniões de última hora com os sindicatos, porém nada de conclusivo saiu, pelo menos, da primeira reunião havida com a FENPROF, primeira estrutura sindical a ser recebida esta tarde pela Secretária de Estado Adjunta e da Educação e pela Secretária de Estado da Administração e Emprego Público.

À saída da reunião, Mário Nogueira, o secretário-geral, reafirmou: “a Greve mantém-se”.

A Frente Sindical de Docentes, constituída pelos sindicatos de professores ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPPEB, SIPE e SPLIU é recebida pelas 22h00 pela equipa ministerial.

Os professores vão estar em greve “pelo descongelamento justo das progressões, recuperação dos anos de congelamento e contagem integral do tempo de serviço prestado pelos docentes”.

 

 

 

Relacionadas
Frente Sindical de Docentes recebida esta noite no Ministério de Educação
Depois da FENPROF, é a vez da Frente Sindical dos Docentes ser recebida pela secretária de Estado Adjunta, Alexandra Leitão, escassas horas antes do início da greve nacional de professores. A reunião está marcada para as 22h00.
OE2018: Ministro da Educação falha audição parlamentar devido a internamento
Tiago Brandão Rodrigues foi internado hoje de manhã numa unidade do Serviço Nacional de Saúde em Lisboa, com o diagnóstico de síndrome vestibular agudo.
Greve dos professores: Fenprof promete “milhares” nas ruas de Lisboa, Madeira e Açores
O sindicato acredita que a indignação dos docentes se vai traduzir na adesão à greve de amanhã.
Recomendadas
APSEI esclarece sobre nova norma de segurança no trabalho
A segurança e saúde no local de trabalho são das principais preocupações das organizações e, no entanto, continuam a ocorrer diversos acidentes, que muitas vezes resultam em mortes.
Governo admite “problema” nas novas pensões
“Esses são a nossa prioridade e penso que, até ao final do ano, todos os casos de longa duração serão resolvidos”, explicou o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.
Associações contra a venda da Herdade da Comporta por razões ambientais
A Zero e a Transparência e Integridade descrevem cinco razões que obstam à venda da Herdade na Comporta. Entre vícios legais, decisões inexplicáveis e impactos ambientais, as duas associações apelam que os processos que se venham a desenvolver tenham o mínimo impacto ecológico possível.
Comentários