Fernando Pinto enfrenta denúncia anónima de gestão danosa na TAP

Ainda não se sabe se o Ministério Público irá deduzir acusação ou irá arquivar este processo.

Clodagh Kilcoyne/Reuters

O ex-presidente da TAP está a enfrentar uma denúncia anónima de gestão danosa à frente da companhia aérea nacional, avança a edição de hoje do jornal ‘Público’.

Segundo o diário, essas suspeitas respeitam à compra, por parte da TAP, da empresa brasileira VEM – Varig Engenharia e Manutenção, que terá custado à companhia aérea nacional cerca de 500 milhões de euros, tendo acumulado prejuízos consecutivos ao longo dos anos.

Fernando Pinto foi constituído arguido há cerca de um ano e meio, após investigações buscas à sede da TAP e da Parpública, ‘holding’ estatal que tem uma participação na companhia aérea nacional.

Ainda não se sabe se o Ministério Público irá deduzir acusação ou irá arquivar este processo.

Fernando Pinto esteve cerca de 18 anos à frente dos destinos da TAP, tendo abandonado a sua presidência executiva a 31 de dezembro de 2017, mas mantendo-se como consultor da administração da companhia aérea nacional.

Recomendadas

PremiumLisboa pronta para ser a Capital Verde europeia em 2020

A iniciativa verde tem em agenda um conjunto de eventos, atividades, exposições e conferências que irão decorrer ao longo do próximo ano.

Santander lança bolsas para países ibero-americanos

São 210 bolsas de mobilidade destinadas a estudantes, professores e investigadores.

Saiba em que casos as empresas podem controlar trabalhadores com recolha de dados biométricos

Embora o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD), que foi entrou em vigor há um ano, proíba o tratamento de dados biométricos, há exceções previstas na lei que possibilitar às empresas usar esta informação para controlar a assiduidade dos trabalhadores. Saiba quais.
Comentários