Fernando Pinto enfrenta denúncia anónima de gestão danosa na TAP

Ainda não se sabe se o Ministério Público irá deduzir acusação ou irá arquivar este processo.

Clodagh Kilcoyne/Reuters

O ex-presidente da TAP está a enfrentar uma denúncia anónima de gestão danosa à frente da companhia aérea nacional, avança a edição de hoje do jornal ‘Público’.

Segundo o diário, essas suspeitas respeitam à compra, por parte da TAP, da empresa brasileira VEM – Varig Engenharia e Manutenção, que terá custado à companhia aérea nacional cerca de 500 milhões de euros, tendo acumulado prejuízos consecutivos ao longo dos anos.

Fernando Pinto foi constituído arguido há cerca de um ano e meio, após investigações buscas à sede da TAP e da Parpública, ‘holding’ estatal que tem uma participação na companhia aérea nacional.

Ainda não se sabe se o Ministério Público irá deduzir acusação ou irá arquivar este processo.

Fernando Pinto esteve cerca de 18 anos à frente dos destinos da TAP, tendo abandonado a sua presidência executiva a 31 de dezembro de 2017, mas mantendo-se como consultor da administração da companhia aérea nacional.

Recomendadas

Lucros da Semapa sobem quase 7% para mais de 130 milhões de euros

Os lucros atribuíveis aos acionistas atingiu os 132,6 milhões de euros, o que, face a 2017, representa um aumento de 6,8%. Entre os diferentes segmentos de negócio, foi a pasta e papel foi que mais contribuiu para o crescimento do EBITDA da holding, com 455,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 12,7% face a 2017.

Siderurgia Nacional afirma que nada na sua produção justifica poluição em Paio Pires

O diretor de relações institucionais da Siderurgia Nacional (SN-Seixal) afirmou hoje que não ocorreu nada de “anormal” no processo produtivo da empresa que justifique as poeiras negras e brancas na Aldeia de Paio Pires, no Seixal, distrito de Setúbal.

Donos da Herdade das Servas investem nos vinhos verdes

Irmãos Serrano Mira adquirem solar erguido em 1540 pelo poeta e humanista Francisco Sá de Miranda.
Comentários