Ferro Rodrigues: “O que deve mudar são os comportamentos dos deputados”

Referindo-se ao caso ‘Silvano’, o presidente da Assembleia da República considera que são os comportamentos dos deputados que “lesam a imagem” do Parlamento.

Ferro Rodrigues comentou, em declarações ao semanário Expresso, a polémica das falsas presenças do secretário-geral do PSD, José Silvano, em sessões plenárias da Assembleia da República (AR), considerando que não vê razão para que sejam mudados os procedimentos técnicos do Parlamento para aferir a presença dos deputados na AR. “O que há é que banir os procedimentos lesivos da credibilidade de qualquer deputado, dos grupos parlamentares e, consequentemente, da democracia representativa”, defendeu.

Para Ferro Rodrigues, “cada deputado é fundamentalmente responsável perante aqueles que o elegeram e perante os grupos parlamentares de que fazem parte”.

Questionado pelo Expresso em relação a uma maior intervenção sua ou do Parlamento para apurar a verdade sobre este caso, Ferro Rodrigues esclareceu que o “presidente da Assembleia da República tem poderes de inquérito e poderes disciplinares em relação aos funcionários parlamentares, mas não os tem sobre os deputados, que são titulares de um órgão de soberania”.

Neste sentido, sustentou: “O presidente da Assembleia da República não considera que a questão seja a necessidade de mudança nos procedimentos técnicos que servem para aferir a presença de cada deputado nas sessões plenárias”.

O tema das faltas dos deputados ganhou relevo na última semana, com o caso das falsas presenças de José Silvano, em pelo menos duas reuniões plenárias, em 18 e 24 de outubro. Ontem, a  deputada social-democrata Emília Cerqueira admitiu que pode sido ela inadvertidamente a registar José Silvano quando entrou no computador com a password do secretário-geral do partido para consultar documentos partilhados. No mesmo dia, à noite, o líder parlamentar social-democrata considerou “encerrado” o caso das falsas presenças assinaladas em plenário ao deputado José Silvano no que toca à bancada, mas salientou que a troca de ‘passwords’ não é uma prática generalizada no PSD.

Recomendadas

Alberto João Jardim: “O nosso adversário foi número dois de Sócrates e chama-se António Costa”

O presidente honorário do PSD/Madeira afirmou este sábado, no congresso regional do partido, que o primeiro-ministro, António Costa, é o “adversário” da autonomia e aconselhou os dirigentes sociais-democratas a “internacionalizar” a questão.

Miguel Albuquerque rejeita “imposição colonial” de Lisboa

O líder social-democrata considerou que a sociedade madeirense está bipolarizada politicamente entre os “autonomistas” do PSD/M e os “feitores do colonialismo lisboeta, os socialistas e os comunistas locais subordinados às ordens do poder central jacobino”.

Cristas lamenta desinteresse de Costa por setor da saúde “em rutura”

A presidente do CDS-PP, Assunção cristas, lamentou hoje o desinteresse do chefe do Governo pelo setor da saúde, descrevendo-o como “em rutura” devido à “austeridade escondida”, numa conferência sobre o tema organizada pelo partido na sede de Lisboa.
Comentários