Fidelidade Chiado8 Arte Contemporânea passou a designar-se Fidelidade Arte

Inaugurado em janeiro de 2002, o espaço da Fidelidade dedicado à cultura contribuiu para a reabilitação do Chiado, através da partilha com a população de projetos dedicados à Arte Contemporânea.

Fidelidade Chiado8 Arte Contemporânea passa a designar-se, a partir desta sexta-feira, Fidelidade Arte.

O espaço no Chiado dedicado exclusivamente à promoção da arte contemporânea, renasce assim como Fidelidade Arte, apostando numa “programação artística diversificada”, assegura a companhia de seguros.

O processo de mudança para Fidelidade Arte “decorre no âmbito da estratégia de responsabilidade social da Seguradora, que privilegia a inclusão social, a prevenção em saúde e o envelhecimento com qualidade, apostando também na promoção da cultura”, explica a companhia em comunicado.

Com a Fidelidade Arte, a seguradora “reforça o seu contributo para a educação e literacia cultural, disponibilizando um local emblemático no centro da cidade de Lisboa, que permite o acesso gratuito, da população em geral, a projetos artísticos nacionais e internacionais”.

Localizado paredes meias com o Teatro Nacional de S. Carlos e a Brasileira do Chiado, “desde que abriu ao público, o Fidelidade Arte já recebeu cerca de 100 mil visitantes, posicionando-se como uma referência nos circuitos artísticos em Lisboa, refletindo a aposta determinada da Companhia na divulgação da Arte Contemporânea junto da população”, afirma Ana Fontoura, Diretora de Responsabilidade Social do Grupo Fidelidade e coordenadora da Fidelidade Arte.

Posicionando-se atualmente como um local artístico de referência, destacou-se sempre pela programação cultural diversificada: entre 2002 e 2006 esteve sob a responsabilidade do Galerista Fernando Santos, com a exibição de obras de artistas portugueses, como Alberto Carneiro, Costa Pinheiro, Gerard Castello-Lopes ou Nikias Spakinakis, ou estrangeiros, como Antoni Tàpies, Jan Voss ou A.R. Penck.

Ler mais
Recomendadas

Documentário sobre diáspora portuguesa no Havai vai ter estreia nacional na Madeira

O realizador Ponta-Garça referiu também que já está a trabalhar na produção do próximo documentário, um filme mais abrangente que deverá estar pronto em 2020 e se vai debruçar sobre os portugueses em todos os Estados Unidos da América.

De Jagger a da Vinci. Cartas à mão de personalidades transformam-se em livro

Já quase não se escrevem cartas à mão, e as poucas que ainda recebemos no correio são para pagar as contas. Shaun Usher tornou conhecida a banal missiva que a rainha Elizabeth II escreveu a Dwight D. Eisenhower, presidente dos Estados em 1960. A mais surpreendente que lhe chegou às mãos foi a do cantor Iggy Pop.

Vão existir mais 22% de multimilionários até 2024

O ano de 2018 fechou com 2.229 fortunas multimilionárias, mais 8% do que no ano anterior. Amâncio Ortega lidera a lista em Espanha e é o sexto mais rico do mundo, com uma fortuna de 50,4 mil milhões de euros.
Comentários