Filha de Dias Loureiro suspeita de branqueamento de quatro milhões de euros

Catarina Dias Loureiro, filha do antigo ministro Manuel Dias Loureiro, é suspeita de ajudar o sogro a branquear quatro milhões de euros.

Catarina Loureiro foi detida esta semana em Madrid, onde vive, noticou esta tarde a TVI. É suspeita de participar num alegado esquema de branqueamento de quatro milhões de euros.

A operação tem como principal suspeito o sogro de Catarina, Raul Morodo, um dos fundadores do partido socialista popular, ex embaixador de Espanha em Portugal e na Venezuela. Catarina Loureiro é casada com Alejo Morodo, também detido. Foram feitas buscas nas casas e escritórios.

A investigação das autoridades espanholas acredita que Catarina, tal como o marido, Alejo Moredo, ajudaram o pai deste a esconder a fortuna obtida através de um esquema de corrupção em transações comerciais internacionais. Segundo a TVI, Raul Morodo terá falsificado documentos e fugiu ao Fisco, entre 2012 e 2015. A grande lesada terá sido a empresa pública de petróleos da Venezuela, país onde o pai de Alejo foi embaixador.

O jornal El País avança que a operação da polícia espanhola ocorreu no dia 20 de maio. Raul Morodo não foi detido devido à avançada idade, ao contrário do filho Alejo, de Catarina Loureiro e de mais um casal próximo de Alejo (o sócio e a mulher).

Os detidos foram mais tardes libertados, tendo o juiz aplicado como medida de coacção a Alejo Morodo e a Carlos Prada a proibição de sair de Espanha e a obrigação de se apresentarem uma vez por semana no tribunal. As mulheres de ambos devem comparecer de 15 em 15 dias.

Catarina Loureiro desmente, no entanto, a noticia avançada pela TVI, apesar de a imprensa espanhola citar as autoridades judiciais do país quanto ao seu envolvimento no caso e detenção.

“Perante as notícias que estão a ser veiculadas por meios de comunicação social em Portugal, venho informar e desmentir categoricamente que tenha sido detida ou chamada a prestar declarações em qualquer investigação policial”, afirmou num curto comunicado enviado às redações.

A TVI refere que a nvestigação decorre em Espanha, Andorra, Portugal e Estados Unidos da América, países onde terão sido branqueados centenas de milhões de euros.

Raul Morodo desempenhou funções de embaixador de Espanha em Portugal entre 1995 e 1999, época em que desenvolveu relações privilegiadas com algumas das mais influentes figuras do nosso país. Mário Soares, Cavaco Silva, António Guterres, Guilherme de Oliveira Martins, Belmiro de Azevedo e Ferro Rodrigues, Francisco Balsemão, Durão Barroso, entre outros.

Jorge Sampaio, o Presidente da República, impôs-lhe, a título excepcional, a Gran Cruz da Ordem de Cristo, que poderá perder, agora que é suspeito da prática destes crimes.

(Noticia atualizada com declarações de Catarina Loureiro)

Ler mais
Recomendadas

Ministro da Economia anuncia incentivo à inovação a empresas de Setúbal

O Ministro da Economia revelou esta terça-feira que o Governo deverá anunciar ainda esta semana um incentivo à inovação, com uma majoração de 10% face aos apoios existentes, dirigido às Pequenas e Médias e Micro Empresas da Península de Setúbal.

Programa Capitalizar já fez chegar 8 mil milhões de crédito às empresas

As linhas do Programa Capitalizar fizeram chegar às empresas oito mil milhões de euros de crédito, disse hoje o ministro da Economia, sublinhando que o financiamento vai ser um dos maiores desafios do tecido empresarial nos próximos anos.

Energias renováveis com impacto positivo de 2,4 mil milhões para os consumidores em nove anos

Entre custos para o consumidor e poupanças obtidas, as renováveis tiveram um impacto positivo, segundo um estudo realizado pela Deloitte.
Comentários