Ford condenada a pagar 611 mil euros por vender carros com defeito na Tailândia

A maioria dos queixosos deste processo coletivo vai receber pagamentos entre os 6,79 euros e os 679 euros, dependendo do número de vezes e do tempo que os carros passaram nas oficinas de automóveis a serem reparados.

Um tribunal tailandês condenou a norte-americana Ford Motor Co. a pagar uma indemnização de 611 mil euros a 291 clientes pela venda de carros equipados com transmissões defeituosas.

A decisão do Tribunal Civil do Sul de Banguecoque foi vista esta sexta-feira como uma vitória num país onde os consumidores raramente são indemnizados.

A maioria dos queixosos deste processo coletivo vai receber pagamentos entre os 6,79 euros e os 679 euros, dependendo do número de vezes e do tempo que os carros passaram nas oficinas de automóveis a serem reparados.

A Dearborn, subsidiária australiana da Ford, já havia sido multada em dez milhões de dólares australianos (6,45 milhões de euros) pela má gestão de reclamações sobre transmissões defeituosas em milhares de carros.

As transmissões defeituosas também foram alvo de ações legais dos consumidores tanto nos Estados como no Canadá.

Recomendadas

Uber vai ter botão de emergência para segurança de motoristas e passageiros

A Uber vai reforçar a segurança em 38 países com a implementação de um kit para utilizadores, motoristas e parceiros de entrega. As funcionalidades – que incluem chamadas anónimas e contactos preferenciais – vão estar disponíveis em Portugal a partir desta semana.

CIN investe 7 milhões de euros para criar “fábrica inteligente”

Reconversão da fábrica de tintas líquidas da CIN na Maia vai permitir produção anual de oito milhões de litros já a partir deste mês.

Produtores nacionais de frutas e legumes querem exportar 500 milhões para Espanha até 2019

Em 2017, as vendas desta fileira ao mercado espanhol totalizaram 450 milhões de euros, mais 13,6% do que no ano anterior (396 milhões). Quatro dezenas empresas, associações e parceiros vão mostrar em Madrid a 70 mil visitantes, provenientes de 120 países, o que de melhor se produz em Portugal.
Comentários