Ford contraria Trump e vai manter produção de ‘crossover’ na China

O crossover, Focus Active, da China não será vendido nos EUA devido às altas tarifas.

O Presidente Donald Trump, anunciou na rede social, Twitter, que a construtora norte-americana, Ford, irá vender o crossover chinês, Focus Active, em território americano. No entanto, a empresa já veio a público negar essa pretensão.

 

“Não seria lucrativo vender o Focus Active nos EUA”, já que as previsões de vendas anuais do veículo estão abaixo das 50 mil unidades, disse Jon Gabrielsen, um economista de mercado especializado na indústria automobilística, ao Detroit Free Press.

A 31 de agosto, a empresa cancelou os planos de importação do veículo em questão da China, devido às altas taxas. Mas isso apenas significa que o carro não irá ser vendido em território americano. Este modelo irá estar disponível nas restantes partes do mundo, assegura a empresa.

 

Ler mais
Relacionadas

Fiat acusa empresa indiana de violação de patentes

A construtora italiana acusa a Mahindra de violar direitos de propriedade intelectual relacionados com clássico Jeep, que faz parte, atualmente, do portefólio da Fiat.

Indústria automóvel diz que estudo sobre manipulação no consumo dos carros não “reflete realidade atual”

A Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel argumenta que a nova legislação WLTP, que entra em vigor em setembro, irá “corrigir” diferenças nos consumos. Em causa está o estudo da Federação Europeia dos Transportes e Ambiental que concluiu que, entre 2000 e 2017, os portugueses foram defraudados em 1,6 mil milhões de euros em combustível extra.
Recomendadas

Agentes de navegação denunciam paragem laboral no porto de Setúbal

Já há várias semanas consecutivas está a decorrer uma greve dos estivadores às horas extraordinárias nos portos de Lisboa e de Setúbal.

BPI montou a Oferta Pública de Distribuição de Ações da Allianz SE dirigida a trabalhadores

O Banco Português de Investimento foi o banco que ficou com a Organização e Montagem desta operação em Portugal

Impresa consegue reembolsar empréstimo obrigacionista de 30 milhões

Em julho de 2017 a Impresa tentou fazer uma emissão obrigacionista de 35 milhões de euros que acabou por cancelar por não conseguir colocar. Entretanto vendeu as revistas, entre as quais a Visão e a Exame, e o edifício de Paço d’Arcos ao Novo Banco, por 24,2 milhões. Com isto conseguiu pagar aos obrigacionistas o empréstimo emitido em 2014.
Comentários