Fosun: “As startups portuguesas são muito populares na China”

Ao Jornal Económico, Vincent Li, vice-presidente da Fosun, disse que a próxima edição do programa de aceleração Protechting deverá contar com mais parceiros. “No próximo ano vai ser muito melhor”, assegura. A Fidelidade e a multinacional chinesa divulgam hoje os vencedores.

O vice-presidente da Fosun International Limited acredita que a presença na Web Summit tem ajudado a gerar mais oportunidades para os novos empresários e empreendedores, inclusive portugueses, que se têm tornado cada vez mais populares na China. Ao Jornal Económico, Vincent Li mostrou-se otimista e lembrou a ligação que existe entre as duas economias com a presença em Macau: “São muito populares na China e é muito fácil para eles terem um contacto real com empresários chineses. São bem vindos”.

O stand da Fidelidade na Web Summit, no Pavilhão 2, tem tido uma média de 50 entradas no seu foguetão, onde empreendedores e jovens empresários tentam a sorte de ser ‘agarrados’ pela seguradora para aceleração em 2019. “O Protechting tem sido um parceiro estratégico do Web Summit há três anos. Temos trabalhado juntos de forma muito próxima e tem criado muitas oportunidades. Tem sido maravilhoso para nós, afirmou.

Em declarações ao jornal, o porta-voz da multinacional sediada em Xangai admite ainda novas parcerias na próxima edição, devido às mudanças que a iniciativa tem feito e à expansão além-fronteiras. “No próximo ano vai ser muito melhor. Ao início estávamos a estabelecer o programa, mas agora está melhor. Acredito que, juntamente com os nossos parceiros Hauck & Aufhauser e Luz Saúde iremos torná-lo muito melhor”

Vincent Li realça também que, como a ‘dona’ de 80% do capital da Fidelidade é uma empresa que preside a comunidade empresarial da China e dos países portugueses, espera “poder apoiar mais a troca de países de língua portuguesa e empresas chinesas”.

Entre as 10:30 e as 12:00 as seis startups que chegaram à última fase do programa irão fazer um pitch no Pavilhão 2 da Web Summit. Seguidamente, o presidente do grupo Fidelidade, Jorge Magalhães Correia, a presidente da comissão executiva da Luz Saúde, Isabel Vaz e  Sandra Freimuth, da H&A, encerrarão a sessão com o anúncio dos premiados.

O Protechting 3.0 oferece às microempresas a possibilidade de receberem 10 mil euros de prémio monetário, participação de capital até 350 mil euros, hipótese de integração do negócio na Fidelidade, na Fosun e na Luz Saúde e workshops, aceleração na Beta-i, mentoria e networking.

A ‘versão 2018’ do Protechting teve a participação do banco alemão Hauck & Aufhauser e o reforço da presença da Luz Saúde no concurso. Este ano a iniciativa contou com ações internacionais de scouting durante a fase de candidaturas e vai agora apoiar projetos de healthtech, insurtech e fintech em Londres, São Paulo Silicon Valley.

Na edição anterior, a empresa portuguesa Bdeo, premiada a nível nacional, foi a vencedora da competição global, destacando-se entre um conjunto de 13 startups chinesas, norte-americanas, espanholas e italianas.

Ler mais
Relacionadas

Fidelidade e Fosun juntam banco alemão a nova edição do programa de aceleração de startups

Em conferência de imprensa, os promotores explicaram que esta terceira edição do programa de aceleração de startups Protechting contará com ações internacionais de scouting e apoiará projetos de Healthtech, Insurtech e Fintech.

Startups têm 1 mês para se candidatarem a investimento da Fosun, 10.000 euros e roadshow na China

A 3ª edição do programa de captação e aceleração Protechting 3.0 foi formalmente apresentada esta quarta-feira. “É a ambição de qualquer empresa trabalhar num mercado da dimensão da China”, afirma o presidente da Fidelidade.
Recomendadas

Banco de Portugal aplicou multas de 10,1 milhões aos bancos no primeiro trimestre

No decurso do primeiro trimestre de 2019 o Banco de Portugal instaurou 19 e decidiu 20 processos de contraordenação.

Proposta sindical de aumentos salariais para a banca em 2019 nos 2,72%

No dia 16 de abril, o SNQTB, o SBN e o SIB enviaram a sua proposta negocial aos bancos que integram a mesa negocial da Associação Portuguesa de Bancos (APB).

CPI à Caixa: Lista de 12 a 15 novas audições é fechada hoje. Santos Ferreira e Faria de Oliveira já agendados

Nova fase de audições dá prioridade a antigos presidente da Caixa. Santos Ferreira, Faria de Oliveira e António de Sousa são as próximas personalidades a ser ouvidas, numa lista de novas audições que ficará hoje fechada e que contará com 12 a 15 personalidades entre político, clientes e antigos administradores. Ao nível de documentos, Parlamento insiste junto do Banco de Portugal  com relatório secreto sobre atuação do governador no caso BES.
Comentários