França: Manifestações de coletes amarelos com 84 mil manifestantes

Em várias cidades e regiões como Nimes, Nantes, Rouen, Caen ou Saint-Brieuc registaram-se confrontos entre manifestantes e forças da ordem.

Cerca de 84.000 pessoas manifestaram-se hoje em França em mais um protesto dos “coletes amarelos”, ultrapassando os 50.000 manifestantes da semana anterior, anunciou o Ministério do Interior.

Em Paris, onde foram mobilizados perto de 5.000 membros das forças da ordem, 8.000 pessoas desfilaram “calmamente” e “sem incidentes graves assinalados”, de acordo com o Ministério do Interior. Em todo o território francês foram feitas 244 interpelações.

“Ao longo da semana apelei ao fim da violência e vi que hoje em Paris a responsabilidade venceu a vontade de confrontação. Agora o lugar é dado ao grande debate nacional, que vai começar na terça-feira e deve decorrer num clima sereno e construtivo”, afirmou o ministro do Interior, Christophe Castaner, numa declaração à AFP.

Mas, em várias cidades e regiões como Nimes, Nantes, Rouen, Caen ou Saint-Brieuc registaram-se confrontos entre manifestantes e forças da ordem.

Ao longo da semana, as autoridades já tinham antecipado que a mobilização poderia aumentar e alertaram para os riscos. O governo multiplicou os avisos e prometeu que responderia com firmeza à violência.

Cerca de 80.000 membros das forças da ordem foram mobilizados em todo o território francês.

Este foi o nono sábado de mobilização num protesto que começou por ser contra o aumento dos combustíveis e contra a queda do poder de compra e atualmente contesta a política social e fiscal do governo.

Ler mais
Relacionadas

Coletes amarelos: Oito mil invadem Paris, 32 mil em França

Apesar das medidas aprovadas pelo Governo gaulês, como o aumento do salário mínimo em 100 euros, o movimento dos coletes amarelos não dá tréguas a Emmanuel Macron.

Manifestação de coletes amarelos em Paris obriga a fechar Torre Eiffel e dezenas de museus

A emblemática torre Eiffel estará fechada este sábado, tal como uma dezena de museus em Paris, para prevenir qualquer impacto de uma possível manifestação marcada pela violência.
Recomendadas

Investimento estrangeiro: Macron ‘vende’ França como o país mais atrativo da Europa

Presidente francês convidou para o Palácio do Eliseu dezenas de empresários de topo em trânsito para Davos. O encontro, que faz parte de uma estratégia chamada ‘Escolha a França’, parece ter sido um sucesso.

Britânica Dyson deixa Londres e parte a caminho de Singapura

James Dyson, fundador da empresa de eletrodomésticos e um dos empresários que fez campanha em favor do Brexit, diz que a mudança tem apenas a ver com as inúmeras oportunidades que surgem na Ásia.

Quatro mulheres deixaram água e comida a migrantes. Foram condenadas nos EUA

Ativistas foram condenadas por um juiz norte-americano no final da semana passada. É a primeira sentença criminal por causas humanitárias no espaço de uma década.
Comentários