França rejeita a proposta da UE sobre a nova rota comercial marítima após o Brexit

Portos franceses seriam excluídos da reorganização da nova rota entre a Irlanda e a Europa, o que Paris considera inaceitável.

A França considera inaceitável a proposta da Comissão Europeia para excluir os portos franceses no quadro da reorganização de um corredor comercial estratégica entre a Irlanda e a Europa continental após o Brexit, disse o governo de Emmanuel Macron.

Atualmente, uma boa parte do comércio da Irlanda com o continente é realizado através do Reino Unido em caminhões. No entanto, quando faltam menos de oito meses para o Reino Unido deixar a União, ainda está pouco claro como serão as futuras relações comerciais com o bloco, ou a situação da fronteira entre a República da Irlanda com a província britânica da Irlanda do Norte.

A nova rota proposta pela Comissão ligaria a Irlanda por via marítima aos portos holandeses e belgas, como Zeebrugge e Roterdão. Os portos franceses de Calais e Dunquerque não seriam considerados.

“A França e a Irlanda mantêm importantes relações comerciais, tanto por terra em toda a Grã-Bretanha como através de rotas marítimas. A proximidade geográfica entre a Irlanda e a França cria uma óbvia conexão com o mercado único”, escreveu a ministra dos Transportes francesa, Elisabeth Borne, numa carta ao Comissário dos Transportes da União.

“Para nossa surpresa, a proposta da Comissão não leva isso em conta, portanto, esta proposta não é aceitável para a França”, escreveu. Borne disse que os portos franceses têm os recursos necessários para assegurar a gestão adequada do aumento dos fluxos comerciais e controlar preocupações sobre um possível congestionamento em lugares como Calais, o terminal mais movimentado da França.