Frente Comum anuncia greve nacional para 27 de outubro

O anúncio foi feito aos jornalistas à saída de uma reunião no Ministério das Finanças sobre as matérias para a administração pública que irão constar na Lei do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018).

Ler mais

A coordenadora da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública, Ana Avoila, anunciou hoje uma greve nacional para 27 de outubro.

O anúncio foi feito aos jornalistas à saída de uma reunião no Ministério das Finanças sobre as matérias para a administração pública que irão constar na Lei do Orçamento do Estado para 2018 (OE2018).

Em causa está a falta de respostas às reivindicações da Frente Comum, como o aumento dos salários, o descongelamento “imediato” das progressões na carreira, a reposição do pagamento das horas extraordinárias e as 35 horas para todos os trabalhadores, explicou Ana Avoila.

A dirigente sindical considera que as rondas negociais com a equipa do Ministério das Finanças resultaram em “nada”.

“Fez-se um esforço mas isto não é nada e defrauda as expectativas dos trabalhadores”, disse a sindicalista, acrescentando que “esta greve é para ser feita, só não será feita se o Governo quiser”.

“Está nas mãos do Governo”, frisou Ana Avoila.

Esta será a terceira greve convocada pela Frente Comum com o atual Governo.

Relacionadas

Cortes nas horas extra diminuem, mas mantêm-se

O secretário-geral da FESAP revelou a abertura do Governo para alterar os cortes no pagamento das horas extraordinárias, que, ainda assim, se manterão.

Governo confirma novas medidas para a função pública

No âmbito da terceira reunião com sindicatos para a preparação do OE 2018, Governo assume um conjunto de medidas que se visam o aumento de rendimentos da Função Pública e o descongelamento das carreiras.
Recomendadas

Índices de Aceitação e de Oposição: PS votou a favor de mais diplomas do PSD do que do PCP

Plataforma Hemiciclo acaba de lançar uma nova funcionalidade: os Índices de Aceitação e de Oposição que registam o número de vezes que uma determinada bancada parlamentar votou a favor ou contra diplomas de cada uma das outras bancadas. Entre os dados compilados destacam-se algumas surpresas.

Santana quer Aliança entre “maiores partidos e aumentar “mercado eleitoral” do centro-direita

“Se tiver no mercado eleitoral, em vez de duas ofertas, três ofertas válidas, há condições para esse espaço político conseguir mais votos do que só com duas”, garantiu Pedro Santana Lopes.

Rui Rio diz que “não ficaria surpreendido” com a recondução de Joana Marques Vidal

Líder do PSD salienta que tem feito “um esforço muito grande não pela não politização, mas pela não partidarização” da nomeação para a Procuradoria-Geral da República.
Comentários