Fridman chega a acordo com Santander e salva supermercados DIA da falência

Além do sucesso da Oferta Pública de Aquisição (OPA) e do acordo com os credores, o magnata russo exigia ter a maioria dos membros do Conselho de Administração da empresa, o que espera que aconteça em breve.

O maior acionista da cadeia de supermercados DIA, Mikhail Fridman, confirmou hoje a assinatura de um acordo com o Santander para desbloquear o aumento de capital necessário para a empresa se salvar da falência técnica.

Num comunicado enviado à Comisión Nacional del Mercado de Valores (CNMV), a LetterOne, empresa através da qual Fridman controla 69,76% da cadeia de supermercados dona em Portugal do Minipreço, explicou que já estão cumpridas duas das três condições necessárias para iniciar a recapitalização de 500 milhões de euros da empresa.

Além do sucesso da Oferta Pública de Aquisição (OPA) e do acordo com os credores, o magnata russo exigia ter a maioria dos membros do Conselho de Administração da empresa, o que espera que aconteça em breve.

Numa mensagem distribuída na rede social Twitter, a presidente do Santander, Ana Botín, já tinha anunciado esta tarde que o banco tinha decidido “apoiar” a cadeia de supermercados.

O grupo DIA, que celebra o seu 40.º aniversário este ano, tem atualmente uma rede de mais de 6.100 lojas e mais de 43.000 trabalhadores espalhados por Espanha, Portugal (Minipreço), Brasil e Argentina.

As vendas do grupo têm vindo a cair nos últimos três anos – passaram de 9.000 milhões de euros em 2015 para 7.288 milhões em 2018 –, devido, entre outros fatores, ao aumento da concorrência em Espanha, onde passou da segunda para a terceira posição em termos de quota de mercado.

A empresa encontrava-se num processo de dissolução por falência técnica desde finais de 2018 e tinha até hoje para recuperar o equilíbrio e evitar a abertura de um processo de liquidação.

Ler mais
Recomendadas

Circulação do Jornal Económico dispara 70% até abril

A circulação total do Jornal Económico atingiu o valor mais elevado de sempre no segundo bimestre de 2019, com uma subida de 70% para uma média de 9.556 exemplares por edição, nos suportes em papel e digital, segundo os dados hoje divulgados pela Associação Portuguesa de Controlo de Tiragem e Circulação (APCT). Obrigado pela sua preferência!

Igreja quer transformar antigos seminários em residências universitárias

Segundo o secretário de Estado do Ensino Superior, o objetivo é dar resposta “imediata e robusta, logo no início do próximo ano letivo”, revelando a impossibilidade de ter 12 mil camas novas já em setembro.

Capital Airlines retoma voo direto entre China e Portugal 

A Capital Airlines vai retomar, no final de agosto, o voo entre Pequim e Lisboa, com uma paragem técnica em Xi’an, no noroeste da China, confirmou esta quinta-feira a companhia aérea chinesa à agência Lusa. Segundo fonte da empresa, a Administração da Aviação Civil da China já autorizou o voo, que arranca a 30 de […]
Comentários