Fundador da Nike doa ações no valor de mil milhões de dólares a uma organização de caridade

Phil Knight, fundador e presidente emérito da Nike, entregou 12 milhões de ações da empresa a uma organização de caridade que é dirigida pelo próprio Knight e a sua esposa. Nos últimos anos, o casal já tinha doado centenas de milhões de dólares às universidades de Oregon e Stanford, revela a Bloomberg.

É a mais recente iniciativa de filantropia de Phil Knight, com 80 anos de idade, fundador e presidente emérito da Nike, empresa norte-americana de equipamentos desportivos. Esta semana, Knight doou 12 milhões de ações da Nike a uma organização de caridade (não identificada) que é dirigida pelo próprio e a sua esposa, segundo noticia a Bloomberg. As ações entregues têm um valor total de cerca de mil milhões de dólares.

Nos últimos anos, o casal já tinha doado centenas de milhões de dólares às universidades de Oregon e Stanford. Desta vez doam uma quantia muito superior a uma organização de caridade. As ações doadas representam cerca de 0,7% do capital social da Nike e 3,1% da fortuna pessoal de Knight, de acordo com o “Índice de Bilionários” da Bloomberg, um ranking das 500 pessoas mais ricas do mundo.

Recomendadas

Alta Comissária da ONU chegou a Caracas para analisar crise política, económica e social

A Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet iniciou quarta-feira uma visita de três dias à Venezuela, país que enfrenta uma grave crise política, económica e social que forçou mais de 4 milhões de venezuelanos a emigrar.

Acionistas da Goggle pediram relatório de impacto nos direitos humanos no regresso do motor à China

Um grupo de acionistas do Alphabet, dona do Google, pediu que a empresa prepare um relatório sobre o impacto nos direitos humanos de um possível regresso do famoso motor de pesquisa à China, com uma versão censurada.

Os cinco problemas da economia angolana aos olhos do FMI

O Fundo Monetário Internacional aprovou a segunda tranche de financiamento para Angola no valor de 248,15 milhões de dólares, mas identificou cinco desafios que as autoridades angolanas devem fazer de tudo para ultrapassar, entre os quais a diversificação económica.
Comentários