Furacão Leslie altera maratonas de Lisboa

A meia maratona e a maratona de Lisboa, que estão previstas para amanhã, domingo, 14 de outubro, vão ter início do IC2, em vez de arrancarem do tabuleiro da ponte, como é hábito.

O furacão Leslie obrigou hoje a alterações na organização das provas de atletismo da maratona e da meia maratona de Lisboa, que terão as partidas atrasadas em uma hora.

A previsão climatérica de chuva e ventos fortes para a noite de hoje e a madrugada de domingo obrigaram a uma reunião de urgência entre as autoridades (Proteção Civil, a Polícia de Segurança Pública e a Lusoponte) e a organização da Maratona e da Meia Maratona de Lisboa, de onde saiu a decisão de proceder as várias alterações, especialmente na meia e na mini maratona, que terá a sua partida num local diferente, no IC2, em vez de ser no tabuleiro da ponte Vasco da Gama, e atrasada em uma hora, passando das 10.30 horas, para as 11.30 horas.

A estrutura de transportes para os corredores da meia e da mini manter-se-á, com os autocarros a partir do Parque das Nações, junto à estação do Oriente.

A hora da partida da maratona também será atrasada em uma hora (passa das 08:00 para as 09:00 horas), mantendo-se o local da partida (Cascais) e o percurso (Marginal).

“A segurança de todos é a nossa maior preocupação. Por isso, entendemos alterar a partida da meia maratona para o IC2 e atrasar em uma hora as partidas das provas. Assim, teremos oportunidade de analisar os estragos que poderão ser causados pela tempestade e tomar as devidas providências”, disse Carlos Móia, presidente do Maratona Clube de Portugal, que ainda adiantou que nunca foi colocada a hipótese de não se realizarem as provas.

Assim, os constrangimentos de trânsito na cidade e nas vias de circulação dos corredores terão a duração de mais uma hora.

Em comunicado enviado pelo clube, esclarece-se que o Maratona Clube de Portugal e as restantes autoridades acompanharão permanentemente a evolução do furacão Leslie e assegurarão as medidas necessárias para salvaguardar a integridade física de todos os participantes e staff da prova.

Na eventualidade de ser necessário tomar novas medidas, estas serão comunicadas a seu tempo.

Ler mais
Relacionadas

Como se escolhem os nomes dos furacões?

As listas dos furacões anuais são organizadas por ordem alfabética, alternando nomes masculinos e femininos.

Quanto custam os desastres naturais?

O ano de 2017 foi aquele que apresentou maiores custos com catástrofes naturais, nos Estados Unidos, resultado de furacões e incêndios destruidores, sendo estimado um prejuízo de quase mil milhões de euros.

INEM ativa Sala de Situação Nacional para articular com entidades de proteção civil os efeitos do furação Leslie

O INEM vai ativar a sua sala de situação nacional a partir das 16:00 decorrente do briefing que teve lugar esta manhã no centro de coordenação nacional operacional da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), onde foi emitido um conjunto de informações e a elevação para laranja do estado de alerta especial para os agentes de proteção de civil
Recomendadas

José Sócrates nega ter mestrado na Sorbonne

O ex-primeiro ministro reagiu ao final da tarde deste sábado à manchete do semanário “Expresso”: “Julgo, portanto, difícil tirarem-me o que nunca tive”.

Fenprof chama “mentira de periodicidade anual” ao ranking das escolas

A federação sindical considera a publicação da tabela com os melhores e piores estabelecimentos de ensino de Portugal “o dia das mentiras sobre as escolas” e aproveita a ocasião deste lançamento para “saudar” os docentes portugueses, que continuam a ser “desrespeitados pelo governo”.

Greve dos enfermeiros: Costa considera parecer da PGR “muito claro”

António Costa referiu que as estruturas sindicais têm de cumprir a lei, sendo uma “boa oportunidade” para repensarem as formas de luta e debruçarem-se sobre o que é importante, assegurar aos enfermeiros aquilo que eles têm direito a ver assegurado.
Comentários