Galp assegura fornecimento de gás natural da Sonatrach por mais 10 anos

“Os volumes acordados representam mais de um terço das vendas de gás natural da Galp em 2018 e reforçam a parceria de já mais de 20 anos entre as duas empresas”, lê-se no comunicado da CMVM.

GALP

A Galp Energia fechou um acordo com a argelina Sonatrach para o fornecimento de 2,5 mil milhões de metros cúbicos (bcm) de gás natural anuais, durante um período de dez anos, foi esta terça-feira, 11 de junho, anunciado ao mercado pela empresa.

Sem revelar os valores envolvidos neste acordo, segundo o comunicado da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o gás natural será “transportado desde a Argélia até à Península Ibérica através dos gasodutos internacionais”.

“Os volumes acordados representam mais de um terço das vendas de gás natural da Galp em 2018 e reforçam a parceria de já mais de 20 anos entre as duas empresas”, acrescenta a mesma nota divulgada pela CMVM.

A empresa liderada por Carlos Gomes da Silva informou também o mercado que o contrato celebrado com a empresa argelina “enquadra-se na estratégia da Galp de assegurar aprovisionamento de longo-prazo balanceado e competitivo para as atividades internacionais de gás natural”.

A Sonatrach tem uma participação de 2,38% no capital da EDP e é uma das principais fornecedoras da Galp Energia. Em 2018, a petrolífera da Argélia assegurou um terço das compras de gás natural da Galp.

Pelas 10h42, no PSI 20, as ações da Galp Energia somavam 0,62%, para 13,78 euros.

Ler mais
Recomendadas

Lesados do BES. António Costa “disse que acabou. Não há mais dinheiro”

Uma organizadora do movimento dos emigrantes lesados do BES em França contou hoje à Lusa que o primeiro-ministro, António Costa, lhe disse que não haveria mais dinheiro para além do que já foi acordado.

Trabalhadores da General Motors em greve a partir de segunda-feira

O sindicato United Auto Workers (UAW), o maior do setor automóvel, marcou hoje uma greve que abrange os cerca de 48 mil trabalhadores do gigante norte-americano General Motors (GM) na primeira paralisação em 12 anos.

PremiumPresidente da ATP disponível para novas fusões que unifiquem o setor

Mário Jorge Machado diz que consolidar o associativismo nos têxteis até unir todos os empresários seria benéfico para o setor. Frente internacional é outra prioridade do líder da Associação Têxtil e do Vestuário de Portugal.
Comentários